Carnaval de Venâncio recupera brilho

A cidade teve duas noites de desfiles, sábado e segunda-feira, e neste ano sem percalços da chuva que muitas vezes traz atropelos. Com a participação de quatro escolas da cidade, Venâncio recupera uma identidade que fora perdida. Sou do tempo dos grandes carnavais de rua no final dos anos 70 e início dos anos 80. Depois houve uma queda, que durou por muitos anos, e agora a cidade retoma uma organização de escolas em nova realidade. No ciclo dos anos 70 e 80, eram as Sociedades do Nego, Sete de Setembro, Leituras e Sova que organizavam belíssimas escolas. Só o Nego se manteve ao longo dos anos. As demais desistiram dos desfiles. Nesta nova etapa as escolas brotaram nos bairros, com certeza motivadas pela persistência da Acadêmicos do Samba do Nego, que é da Cidade Alta. Império do Samba dos bairros Cidade Nova/Gressler, Unidos das Vilas, da Vila Didi no bairro Santa Tecla e Fiel Tribo ligada ao Guarani. Falta uma escola do lado oeste, onde o bairro Coronel Brito já teve sua escola de samba nos anos 80, com a Ke Qui ké e o bairro Brigida também já teve a sua. A secretária da Cultura, Esportes e Turismo, Cleiva, Heck, justificadamente entusiasmada no final dos desfiles de rua, levantou a ideia de se voltar a ter carnaval de competição em Venâncio. Entendo que esta proposta deve ser avaliada com muita cautela, para não colocar em risco a reconstrução do nosso carnaval que está indo tão bem. Competição é competição. Além disso, como teremos eleição em outubro, o próximo carnaval é uma incógnita. Até pode ser continuidade deste, pois Airton e Giovane são candidatos à reeleição, assim como poder ser organizado por um novo governo, se não acontecer a reeleição.

Destaques