Dilma corta R$ 55 bilhões do orçamento

O governo federal anunciou na quarta-feira, 15, corte nos gastos de R$ 55 bilhões no Orçamento federal de 2012. Segundo os dados divulgados, o ministério que mais sofreu bloqueio foi o da Saúde, com R$ 5,467 bilhões. Passa de até R$ 77,58 bilhões para R$ 72,11 bilhões. O segundo é o Ministério das Cidades, que sofreu um contingenciamento de R$ 3,32 bilhões, seguido pelo Ministério da Defesa, com um bloqueio de gastos da ordem de R$ 3,31 bilhões.

Ao cortar gastos, o governo diz que busca cumprir a meta cheia de superávit primário (economia para pagar juros da dívida pública e tentar manter sua trajetória de queda) de R$ 140 bilhões em 2012. Com isso, também visa ajudar na contenção da demanda e facilitar o trabalho do BC no atingimento da meta de inflação – por meio da definição da taxa de juros. Dilma garante que as obras do PAC não serão atingidas. Mas a saúde as obras de saneamento e habitação do Ministério das Cidades são os m ais atingidos.

Para os municípios, que já estão ‘chiando” através da Confederação Nacional, o maior prejuízo será o corte de R$ 20,3 bilhões em emendas parlamentares, dinheiro que tantas obras possibilita aos prefeitos.

Destaques