Telmo assume missão no Leituras

Nesta semana Telmo esteve com parte da sua diretoria em visita ao prefeito Giovane Wickert (PSB) com quem tem boa relação. (Foto: DivulgaçãoAI/PM)

O hoje corretor de imóveis Telmo Kist assumiu nesta semana a presidência da Sociedade de Leituras, apoiado por um grupo de pessoas da comunidade que convidou para trabalhar pela recuperação da centenária Sociedade.

O Leituras é de 1887, mais antigo que o Município de Venâncio, que é de 1891. A a sua sede é arquitetura riquíssima e está se deteriorando. Chegou a ser assumido por Juarez Becker, o Beiçudo, promotor de grandes bailões populares que foram para o salão da Sociedade. Mas logo se desentendeu com outros membros veteranos da Sociedade e deixou a presidência. Então uma Comissão Provisória de abnegados, integrada por Ailto de Melo, Cássio Gauer, Fábio Reis de Azevedo e Rogério Seibt, mais o presidente do Conselho Deliberativo, Walter Bergamaschi, assumiu o comando do Leituras para organizar uma transição e formar uma nova diretoria. Um trabalho que merece elogios, pois não deixam o Leituras fechar.

E eis que surge Telmo Kist, homem de história comunitária marcante em Venâncio. Foi atleta e treinador profissional do Guarani, trabalhou na antiga Venax, Móveis Suzana e Banco do Brasil, foi o primeiro presidente do Comdica em 1994, é membro atuante da igreja católica, teve programa de rádio, foi colunista da Folha, é músico e interprete como o ‘Roda esta cuia’, que considero um hino à Fenachim e Venâncio, foi vereador, secretário municipal pelo PDT e se frustrou quando não foi indicado candidato a prefeito em 2016, depois de toda sua história no partido.

Telmo teve a perda da esposa Jane e deixou a política, se recolheu e trabalha na sua imobiliária. Mas não demorou para ele sentir a falta de ser ativo, de ser participativo como sempre foi. Tenho plena certeza que Telmo vai liderar um trabalho que vai resgatar a Sociedade de Leituras, para o bem de Venâncio. Mas precisamos todos ajudar, da forma que for possível para cada um.

 

Orquestra Municipal, um grande espetáculo

Não assisti a apresentação da Orquestra Municipal com os tributos ao Queen com Fred Mercury e a Elvis Presley, que foram muito elogiadas. No sábado tive oportunidade de prestigiar a apresentação alusiva aos 10 da Orquestra Municipal, na Sociedade de Leituras; um espetáculo.

A perfeição de sincronia dos instrumentistas regidos pelo maestro Daniel Bohm impressiona. Mas o show fica por conta de solos. O advogado e sax tenor na Orquestra, Tiago Wachholz, ‘encarna’ Elvis Presley no tributo Always on my mind. O professor de música da escola Sinodal de Vera Cruz e contra baixo na Orquestra, Jessel de Souza, recente vencedor do Festicanto de Mato Leitão, ‘encarna’ Fred Mercury, no tributo Queen will rock you, além de cantar Os Atuais, Barbarela e nativistas. As meninas Sthephane Wagner (trombone) e Natana Vogt (clarinete) cantando Abba encantam, e o guitarrista Guilherme Henz Leissmann, o Vermelho, faz um show particular e leva às alturas o som das cordas nos solos do Queen.

(Fotos: Lucas Marmitt/Orquestra Municipal)

Fiquei encantado com a riqueza e a qualidade musical da Orquestra. Orgulham Venâncio.

 

Posse de Dário

Foi prestigiada a posse de Dário Martins na Secretaria Municipal de Segurança Pública na quinta-feira. Autoridades da área de toda região prestigiaram o ato no gabinete do prefeito Giovane Wickert (PSB).

Repercutiu muito o pronunciamento do Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado, o venâncio-airense, Rinez da Trindade, que falou durante 45 minutos, onde destacou o governo Giovane, atacou pessoas e a imprensa, gerando até um mal-estar no ambiente.

Conheço Rinez desde jovem, atleta, advogado, que se elegeu vereador e era um ótimo e positivo tribuno na Câmara. Logo passou no concurso de Juiz de Direito e deixou a política, mas se manteve participativo nos bastidores políticos e nutria o sonho de ser prefeito de Venâncio quando se aposentasse. Nos últimos anos Rinez se mostra outra pessoa, amarga, com discursos pessimistas e odiosos, longe daquele jovem eloquente e positivo que foi. Algo aconteceu.

 

Os presidentes

Do ex-prefeito Airton Artus (PDT) sobre Bolsonaro não ter ido à posse de Alberto Fernandes na Argentina: “Para quem acha bonito o presidente não ir na posse do Fernández, Presidente do maior parceiro comercial do Brasil: em agosto, antes de qualquer manifestação do então candidato, Bolsonaro falou: “se essa esquerdalha voltar ao poder na Argentina, haveria o nascimento de uma nova Venezuela. Com pobreza e migração em massa.” Interessante acompanhar a história de Fernández. Tem um argentino que mora em Venâncio, muito culto, que pode explicar sua trajetória. Domingo, três dias antes da posse, Fernández e Macri foram a missa juntos. Centro Direita e Centro Esquerda. Demonstração de civilidade.”

Depois de trocarem farpas e ofensas, Bolsonaro e o novo presidente da Argentina, Alberto Fernández, sinalizam trégua. E é preciso. Fernández diz que a relação com o Brasil precisa estar acima das ideologias e Bolsonaro disse que espera que a Argentina dê certo e convidou Fernández a vir ao Brasil.

 

Notinhas

* Família Folha do Mate e Terra FM confraterniza o Natal com almoço hoje. Dois veículos líderes na comunidade. Temos muito a agradecer.

* O Tenente-Coronel Joel, Chefe da Gabinete do deputado estadual Tenente-Coronel Zucco, acusa o recebimento da revista Perfil Socioeconômico de Venâncio Aires e Microrregião, lançada em novembro pela Folha e que chega aos gabinetes de todos os deputados estaduais e federais, senadores, secretarias de governo do Estado, municípios da região dos Vales, empresas e lideranças. A revista foi criada para mostrar Venâncio, seu potencial e suas oportunidades.

* Prefeito de Santa Cruz, Telmo Kist (PSD) mandou para a Câmara de Vereadores projeto que autoriza financiamento de R$ 60 milhões para realizar obras. A metade vai para pavimentação. Os outros R$ 30 milhões em obras na Rodoviária, no Lago Dourado, praças, Centro Administrativo, Parque de Eventos e Parque da Oktoberfest, que terá investimento de R$ 9,8 milhões.

* Presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), quer empurrar para 2020 a votação da PEC que restitui a prisão de condenados em segunda instância. Rodrigo Maia, na Câmara dos Deputados, tenta fazer o mesmo. Cheiro de ‘rabo preso’. Vai ter que ser na pressão popular para os deputados e senadores tomarem atitude contra a impunidade decretada pelo STF.

Além da CUT tentar convencer os caminhoneiros a fazer nova greve, grandes veículos de comunicação, que tem guerra declarada contra Bolsonaro, começam a fomentar que os caminhoneiros parem o Brasil. Resta saber se a classe vai se sujeitar a esta manobra política. Penso que não.

 

Dia de Assoeva

A Assoeva começa a decidir mais um título na temporada. Joga hoje às 20h30min em Seberi, contra a Afucs, abrindo a decisão da Copa RS. Na terça, 17, decide tudo no Poliesportivo. Como se diz na ‘gíria’, ‘esse também está no papo’.

 

Craques

Moacir Eisermann e Milton Klafke estão organizando o Encontro de Craques no Edmundo Feix para o dia 21 de dezembro. O jogo inicia às 17h e o ingresso é um kg de alimento não perecível.

 

Do Twitter

* Veja: Lava Jato avança para desvendar ligações entre Lulinha e a Oi

* Veja: Bolsonaro ameaça com ‘pau de arara’ ministro que se envolver em corrupção.

* O Antagonista: Se um empresário gravar um político cobrando propina dele, o Ministério Público não poderá mais usar a gravação como prova para condenar o corrupto.

* Claudio Dantas: O crime de corrupção está sendo legalizado à luz do dia.

* Bolsonaro: Invasões de propriedades rurais pelo MST no 1° ano de cada Presidente: FHC/1995 – 145; FHC/1999 – 502; Lula/2003 – 222; Lula/2007 – 298; Dilma/2011 – 200; Dilma/2015 – 182; BOLSONARO/2019 – 5. A propriedade privada é SAGRADA. O Estado tem o dever de preservá-la.

* Daniel Scola: Li hoje em ZH artigo do ex-governador Tarso em que apela para que Eduardo Leite retire o pacote. Legítimo. Senti falta de 3 informações importantes: Tarso sacou R$ 5.7 bi de depósitos judiciais, autorizou reajustes que não foram pagos no exercício e encerrou governo com rombo fiscal de R$ 4.4 bi.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome