Uma crise fabricada

Nesta semana o presidente Jair Bolsonaro realizou várias trocas de Ministros no seu governo. E a troca do Ministro da Defesa, tirando um militar para colocar outro, e dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, foi transformada em crise, turbinada de forma orquestrada pelo ‘sistema’ (grande mídia – oposição – especialistas) para desgastar Bolsonaro o máximo possível, na guerra declarada contra o presidente. A esquerda corre para mais um pedido de impeachment de Bolsonaro por ter trocado o comando das Forças Armadas. Picaretagem política.
A mesma troca ocorreu nos governos do PT, sem crise e sem pedidos de impeachment, mesmo que civis tenham sido nomeados para cargos tradicionalmente ocupados por militares no Ministério da Defesa. Lula nomeou o petista civil Waldir Pires, ex-governador da Bahia, como Ministro da Defesa e trocou todos os comandantes das Forças Armadas em 2007. Dilma, com outro petista civil como Ministro da Defesa, Jaques Wagner, também ex-governador da Bahia, trocou os nomeados por Lula e nomeou outros comandantes nas Forças Armadas. E nenhuma crise foi ‘fabricada’, nas duas situações, que são normais.
Traço este paralelo para mostrar o vivemos uma guerra, sem tiros, onde não tem mocinho, mas tem muita sujeira, por todos os lados.

Notinhas

* Este mesmo ‘sistema’ omite que o pais gerou 401 mil empregos em fevereiro, recorde para o mês na série histórica iniciada em 1992. O RS teve saldo de 57 mil empregos também novo recorde histórico. Em Venâncio o saldo foi de 1.765 empregos gerados no mês, o melhor resultado desde 2008. É o Brasil silencioso, que trabalha, e que não vemos na grande mídia.
* No RS o governador Eduardo Leite (PSDB) também faz trocas. Covatti Filho deixa a secretaria da Agricultura para assumir sua cadeira na Câmara dos Deputados pelo PP. Quem assume a secretaria é a sua mãe, a deputada estadual Silvana Covatti, também do PP. Ronaldo Santini (PTB) suplente que ocupava a cadeira de Covatti Filho, deixa o Congresso e assume a secretaria estadual de Turismo.
* Na próxima segunda-feira, 5, Alberto Sausen, primeiro suplente do PTB, assume cadeira na Câmara, em lugar de Diego Wolschick, que sai em licença de 15 dias. Sausen é de Vila Deodoro, servidor público que foi capataz no distrito no governo Giovane/Celso. Ele fez 764 votos. Sinal de que o trabalho na capatazia foi bom.
* Manifestação de Junior Bohn, da FB Net, em rede social denuncia que quem está deixando fiação de qualquer jeito nos postes da rede elétrica na cidade são Claro e Oi, que estão fazendo novos cabeamentos através de empresas terceirizadas. Fiscalização neles.

Do Twitter

* Estadão: Após reunião tensa, três comandantes militares são exonerados pelo governo
* Exame: Comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica se demitem
* O Globo: Ernesto Araújo contra-ataca Congresso e diz que pressão por demissão está relacionada ao 5G, não a vacinas
* CNN: Araújo diz que foi vítima de “interesses escusos” em carta de despedida
* Frederico Timmen: Esse lobe da China pelo 5G já era óbvio! No começo do ano ficou muito claro isso, quanta China trancou os insumos de vacinas, e por pura coincidência, só liberou os insumos, depois que o governo liberou a participação deles no 5G. Coincidência?
* Alceu Moreira: É absurdo que fornecedores de remédios para pacientes de UTI Covid estejam se aproveitando para faturar em cima dessa tragédia. Direções dos hospitais informam que valores subiram até 900%. A criação de um comitê de investigação já está andamento. Não permitiremos essa barbárie.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques