Vem aí a esperada reforma tributária?

No Congresso os corredores falam que é aguardado um projeto do presidente Jair Bolsonaro para tratar da reforma tributária, há tantos anos esperada e que não saiu do papel em nenhum governo. É preciso redividir o bolo tributário e reduzir impostos, para destravar o país. Aqui no Rio Grande também vai ter reforma tributária. O governo Eduardo Leite (PSDB) apresentará projeto para discussão pela Assembleia no segundo semestre, revelou o presidente tucano, o jovem deputado estadual Mateus Wesp, quando esteve em Venâncio na segunda-feira. Vão ser revistas isenções e incentivos e propostos novos modelos de incentivos, adianta Mateus, otimista com a proposta ampla que o governo deve apresentar.
Que exista coragem política para mudar o emaranhado tributário que vivemos hoje e que penaliza o cidadão e as empresas.

Jovens lideranças tucanas nas principais cidades

Douglas Staub, vice do PSDB aqui, e Mateus Wesp, presidente do PSDB no estado, na Folha, onde o deputado recebeu uma revista do Perfil Socioeconômico de Venâncio e microrregião. (Foto: Rosana Wessling)

Na sua passagem por Venâncio, Mateus Wesp esteve aqui na Folha, e falou de política. Ele, que é advogado e professor universitário, diz ter perfil parecido com Vinícius Medeiros, liderança do PSDB em Venâncio. Wesp enumerou que em quase todos os municípios grandes e médios do RS o partido tem jovens lideranças emergindo, com destaque para o governador, Eduardo Leite, e o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr.
“Somos o partido que mais renovou lideranças na comparação com os outros grandes partidos no RS”, avalia, afirmando que estas lideranças estão sendo apresentadas como opções de renovação nas eleições, em todos os níveis. Ele acredita que Eduardo Leite possa ser o candidato do PSDB à Presidente em 2022, como o nome novo que o eleitor de centro, que considera a maior fatia, espera surgir. “A prova é agora na pandemia do coronavírus, onde Eduardo Leite se sobressai com o modelo de distanciamento social controlado que criou, com uso de bandeiras por regiões, elogiado em todo Brasil e fora dele, com resultados práticos’, exemplificou.
Wesp também citou que o PSDB, mesmo que esteja sendo ‘empurrado’ pelo bolsonarismo como partido de esquerda, segue sendo na verdade um partido conservador, de centro-direita, posição que foi inclusive confirmada em pesquisa que o partido fez em nível nacional.
Ele também falou da proximidade que os tucanos tem com o PSL no estado e quer fazer isso chegar aos municípios. Durante o almoço com executivas do PSDB e PLS aqui, o tema foi este.
Wesp revelou também, que na ampla reforma que o governador Eduardo Leite pretende, entra a parte administrativa, com renovação dos quadros do governo. E neste processo citou Vinícius Medeiros e Doulgas Staub como dois momes que podem ser aproveitados por Leite.
Durante o café que tomamos, o papo foi agradável. Como é bom ver cabeças novas, arejadas, sem mimimi, pensando e fazendo política sem os ranços que estamos acostumados a ver, e pensando no bem coletivo da sociedade.
Dá pra ter esperanças.

Trânsito, motoristas, pedestres

No final de semana aconteceu um atropelamento de uma pedestre sobre a faixa de segurança no centro. A cobertura da Folha gerou um debate enorme em redes sociais, culpando um ou outro ou todos.
Observo o comportamento de motoristas e pedestres faz tempo. Não é difícil concluir que o risco de atropelamentos é constante. Tem motorista ‘dono da rua’ que não respeita o pedestre, que tem a preferência, quando estiver sobre a faixa. E tem pedestre que vendo um carro se aproximar, já quase sobre a faixa, entra a passos largos na faixa, ‘cheio de razão’, as vezes até de forma provocativa.
É preciso bom senso, tanto de motoristas como de pedestres. Gentileza gera gentileza.

Leite/Olívio

O governador Eduardo Leite (PSDB) está se desgastando politicamente com o anúncio do Mercado Livre trocar o RS para SC. A empresa de comércio eletrônico investiria em um grande Centro de Distribuição, alugado em Gravataí, mas desistiu por não ter atendidas exigências tributárias feitas ao governo gaúcho e que Santa Catarina vai atender. Que exigências seriam? Ninguém fala.
O episódio já é comparado por opositores de Leite com a saída da montadora da Ford de Guaíba, onde seria instalada, para a Bahia, no governo Olívio Dutra (1999/2002), que não honrou exigências tributárias que já tinham sido aceitas no final do governo anterior, de Antônio Brito (1995/1998), que negociou a vinda das fábricas da GM e da Ford para o RS.

Para Presidente

A Quaest Pesquisa e Consultoria, de MG, realizou pesquisa sobre eleição presidencial de 2022. O presidente Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto com 22%, seguido de Sergio Moro com 19%, dois nomes conservadores, sem partido. Bolsonaro deixou o PSL e quer fundar o partido de direita Aliança Brasil. Moro é cobiçado por vários partidos de centro-direita. Numa segunda linha aparecem os chamados progressistas, Fernando Haddad (PT), de esquerda, com 13%, e Ciro Gomes (PDT), digamos, de centro-esquerda, com 12%. Estas me parecem ser as principais opções para o eleitor, pelo que temos hoje. Mas até 2022 muita coisa pode mudar. Como as pesquisas invariavelmente erram contra Bolsonaro, é certo que a diferença deve ser maior do que aparece nesta e nas outras pesquisas.

Mais confiável

Outra pesquisa divulgada na semana foi da Paraná Pesquisas para o site Diário do Poder, que perguntou sobre confiabilidade quando se fala no presidente Jair Bolsonaro e no âncora do Jornal Nacional, William Bonner, jornalista que comando os ataques diários da grande imprensa ao Presidente. Dos entrevistados 37,9% disseram que acreditam nas palavras de Bolsonaro, enquanto 32,6% disseram creditar em Bonner. Mesmo com os ataques diários do jornalismo da Globo e outros grandes veículos, a pesquisa mostra que o povo ainda acredita mais em Bolsonaro do que nos jornalistas. Ruim para o jornalismo.

Novo Ministro

Bolsonaro anunciou na quinta o economista carioca Carlos Alberto Decotelli da Silva como novo Ministro da Educação. Oficial da reserva da Marinha, ele foi presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e integrou a equipe de transição de governo. Decotelli, como é chamado, tem sobrenome italiano, mas é negro e se diz ‘cariúcho’, pois por dez anos lecionou nos cursos de especialização na PUCRS, FGV e na formação de gerentes do Banrisul. Ele disse conhecer bem o Rio Grande do Sul. Ouvi-o na Gaúcha e gostei. Citou até um ditado gaudério, que disse ter adotado como lema de vida: ‘Não tá morto quem peleia’. Decotelli se diz professor e gestor, prega o diálogo e a visão técnica. É tudo que o Brasil precisa na Educação, depois de dois Ministros ideológicos.

Notinhas

* Em pesquisa que fizemos aqui na Folha para reportagem na semana passada, me intrigou que o território de Venâncio tem números diferentes. No site da Prefeitura consta 772,2 km2. No site do IBGE 771,806 km2. E no Wikipédia 773,239 km2. A diferença é mínima coisa, mas fico a pensar, se for questão de concurso, qual informação vale? Presumo que a da Prefeitura

* Prefeito de Rio Pardo, Rafael Barros (PSDB), que foi preso acusado de participar do desvio de R$ 15 milhões da saúde no município, apresentou renúncia ao cargo na quarta-feira. Tem gente que não pode ver dinheiro público.

* Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta que o mundo vai encolher 4,9% o PIB em 2020 e que o Brasil vai encolher 9,1%, quase o dobro. O Banco Central projeta encolhimento de 6,4% do PIB nacional.

* Senado aprovou adiamento da eleição municipal de 4 de outubro para 15 de novembro. Falta agora a Câmara dos Deputados confirmar a mudança. A eleição vai ser atrasada em 40 dias.

* Depois do ‘establishment’ ter esticado a corda com o Presidente Bolsonaro, a aparência é de trégua, ou de entendimento, como salientam Bolsonaro e o presidente do STF, Dias Tofflli, incluindo os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, David Alcolumbre. É difícil de acreditar, mas que possa haver entendimento e respeito entre os poderes, pelo bem do país.

* STF elegeu na quinta Luiz Fux, nomeado por Dilma em 2011, como próximo presidente. Ele assume no dia 10 de setembro, por dois anos, sucedendo Dias Tofolli, nomeado por Lula em 2009.

* Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), disse nesta semana que pretende colocar em votação a PEC que regulamenta a Prisão em Segunda Instância. Duvido, sendo ele candidato a ser pego pela Lei. Maia é o ‘Botafogo’ na lista de propinas da Odebrecht e fazia parte da quadrilha dos governos anteriores. Mas a ‘jogada’ deve ser da lei valer só de agora em diante; quem roubou e foi, ou ainda será condenado, estaria livre. Mas a PEC precisa ser aprovada sim, e quem deve que pague. Inclusive os condenados soltos pelo STF.

Do Twitter

* Estadão: Ato virtual contra Bolsonaro reúne Huck, Marina, Ciro e Haddad.
* Exame: “O Brasil vai surpreender o mundo. É um povo valente”, diz Guedes.
* Crusoé: Com discurso de ‘paz e harmonia’ entre poderes, Bolsonaro tenta arrefecer a crise.
* UOL: Carla Zambelli crê que esquerda vota em Bolsonaro em eventual eleição contra Moro.
* Lula: O Bolsonaro tá transformando o governo em um quartel. Hoje (quinta) entrou mais um. Não é militarizando o Estado brasileiro que ele vai melhorar o Brasil. E sim democratizando as instituições.
* Fabrício Haas: Os caras aproveitam a pandemia do coronavírus para privatizar a água no Brasil!
* Cristian Deves: Há anos escutamos que Saneamento Básico deveria ser prioridade numero 1 para o Brasil. Melhorar a dignidade e a saúde para 100 milhões de brasileiros. Agora temos um programa e os canhotos são contra? Definitivamente o que é bom para o Brasil a esquerda é contra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques