Distantes, mas unidos. Longe, mas conectados. Esses últimos dias nos ensinaram mais do que um ano todo. Há quem diga que este está sendo o maior aprendizado que a nossa geração já viu. A pandemia da Covid-19 nos trouxe um novo ritmo de vida e também reflexos que ainda não conseguimos dimensionar para saúde, para a economia, para a vida social. Até o mundo ficou mais silencioso e a Terra está tremendo menos.

Não sabemos quando tudo voltará ao curso natural, o que imaginamos é que voltaremos diferentes e que tudo ao nosso redor vai funcionar diferente, provavelmente, mais (muito mais) digital.

Neste ambiente de tantas dúvidas, o importante é a união de esforços, afinal, uma mão lava a outra. Este, por sinal, é o nome da campanha anunciada na quinta-feira, 2, pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires (Caciva). A iniciativa, apoiada pela Folha do Mate e Terra FM, busca estimular o contato virtual entre clientes e os estabelecimentos comerciais da Capital Nacional do Chimarrão. Além de conectar cliente e lojista e possibilitar que compras e pagamentos continuem acontecendo, a campanha traz uma mensagem para toda a nossa comunidade: estamos, todos, passando por esse momento difícil e somente juntos vamos sair dessa.

Talvez ainda não tenhamos noção do efeito que a pandemia pode causar, mas devemos nos antecipar e promover ações que possam minimizar impactos, em qualquer área.
Além de reforçar os cuidados com a nossa saúde, o surto epidêmico está mostrando ao mundo que devemos acelerar nossas medidas de prevenção e ensinando que cuidar da saúde do próximo também é nosso papel.

Por isso, o uso de máscaras caseiras passou a ser um fenômeno internacional no enfrentamento da Covid-19. Venâncio Aires também se uniu a este movimento e, nesta sexta-feira, 3, a Secretaria Municipal de Saúde anunciou uma campanha de incentivo ao uso e confecção das máscaras caseiras. Além da preocupação com a escassez de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) no mercado nacional e internacional, diversas autoridades de saúde, inclusive o Ministério da Saúde, passaram a reconhecer que as máscaras caseiras podem ser importantes aliadas para frear a propagação do coronavírus.

Como bem resumiu o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, “agora é hora de lutar com as armas que a gente tem.” Ou seja, é com medidas simples que podemos formar um ‘exército’ contra o novo coronavírus.

São iniciativas como essas que mostram que sim, existe esperança de que, logo, logo, venceremos esse desafio. Quem sabe ela mora justamente na folha de tabaco, que tanto representa para nossa cidade e para Sul do país? Nesta semana, uma empresa gigante do setor tabacaleiro, a British American Tobacco (BAT), controladora da Souza Cruz, anunciou que trabalha no desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19, nos Estados Unidos.

Enquanto isso, continua a nossa luta contra um inimigo que é invisível, sem esquecer que os casos de coronavírus, as contas a pagar, os problemas sociais estão bem diante dos nossos olhos. Pode parecer que não, mas estamos, todos, no mesmo barco e temos pressa de que tudo isso passe, pois tempo é saudade, tempo é dinheiro, tempo é saúde. Tempo é vida.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome