Reportagem de ontem na Folha sobre o poder de consumo dos municípios acende sinal de alerta para Venâncio. O município encolheu seu poder de consumo em R$ 183 milhões de 2018 para 2019. O impacto foi causado pelo aumento do número de domicílios das classes E e D. A tradução mais simples é que muita gente ‘sem era nem bera’ vem pra cá e isso é perceptível, e a queda de renda de famílias das classes C que caem pra D e E.

Sempre faço uma leitura cautelosa desses números, como esse do IPC Marketing de São Paulo. Em números reais Venâncio reduz de R$ 1,864 bilhão em 2018 para R$ 1,782 bilhão em 2019 o poder de consumo. A queda nominal é de R$ 82 milhões, mas o IPC ‘corrigindo pela inflação’ aponta para queda de R$ 183,7 milhões. Inflação de 123%?

Uma outra leitura que faço é a regional comparativa. Venâncio tem R$ 1,782 bilhão de poder de consumo. Lajado tem R$ 3,193 bilhões. São 77% a mais, ratificando o polo comercial do Vale do Taquari que lá se desenvolveu. Santa Cruz tem R$ 3,850 bilhões de poder de consumo, isso é 111% superior ao de Venâncio.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome