Todos sabíamos do ‘jeito’ Bolsonaro. Foi eleito presidente como alternativa para começar a ‘desalojar’ do poder a quadrilha pluripartidária que lá estava instalada. Como presidente, Bolsonaro não mudou muito o seu jeito de ser, irreverente, provocativo e até irresponsável. Segue usando o twitter para se comunicar e boicota a grande imprensa, que era contra sua eleição e ‘caiu de pau’ sobre ele no governo. Sem trégua. Nesta semana a Globo demitiu o Ministro da Educação. Sem Bolsonaro saber.

Nos últimos dias o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), bateu de frente. Primeiro com Sérgio Moro, que cobrou celeridade na apreciação de proposta anticrime que enviou ao Congresso. Maia disse que não aceitava pressão de Ministro nenhum. Na sequencia foi preso Michel Temer e Moreira Franco, sogro de Maia, já soltos. Esse fato fez Maia bater de frente com o governo todo. Disse que Bolsonaro precisa parar de brincar e assumir a presidência. O Presidente chamou Maia de irresponsável. E assim vai. Como consequência foi criado um quadro de disparada do dólar que bateu em R$ 4 e riscos para a economia do pais.

Bolsonaro apoiou Rodrigo Maia para continuar como presidente da Câmara dos Deputados. Foi seu erro maior. Maia vai continuar as práticas a que estava acostumado nos governos anteriores. Não podia sair coisa diferente do que temos aí.

É torcer para tenham responsabilidade com o país.