Nosso tema de hoje é a Biologia: uma ciência muito ampla, que se preocupa com o estudo de todos os seres vivos e procura compreender os mecanismos que regem a vida.

Evolução

Charles Darwin escreveu o livro ‘A Origem das Espécies’, em 1859, no qual explica que as espécies evoluem por seleção natural. Ele define evolução como “a descendência com modificações”.

Hoje, sabemos que além da seleção natural, fatores como mutação, recombinação genética (permutação), migração, seleção natural e deriva genética também atuam sobre o conjunto de genes de uma população. Mark Ridley diz que “evolução é a mudança, entre as gerações, nas linhagens das populações”.

Gene e genética

Gene: é composto de DNA e é considerado a unidade da hereditariedade, pois contém as informações que são determinantes na formação de todo o organismo. Os genes determinam as características que são passadas de pai para filho, como cor dos olhos e do cabelo e até mesmo doenças hereditárias.

Genética: é a parte da Biologia que estuda a transmissão dos genes (as leis da hereditariedade). Ela foi descoberta e descrita por Gregor Mendel em 1865, que, na época, estudou as características das ervilhas.

Ele descobriu que existem genes dominantes e genes recessivos. E que se os dois estiverem juntos, o gene dominante impedirá que o gene recessivo se manifeste.

Entenda

Um exemplo disso é o albinismo, que é uma anomalia genética na produção da melanina (pigmento) causando ausência total ou parcial da pigmentação da pele, dos olhos e dos cabelos. É causada por um gene recessivo que só se manifesta se a pessoa possuir dois genes recessivos – um recebido da mãe e o outro do pai.

O quadro de Punnett (o famoso chiqueirinho) nos mostra isso:

No exemplo, o A representa o gene dominante e o a representa o gene recessivo.

Se liga: outros padrões de herança não estudados por Mendel foram descobertos depois. Entre eles, a dominância incompleta ou ausência de dominância em determinados caracteres.

Doação de sangue

As doações de sangue devem ser feitas, de preferência, entre pessoas de mesmo grupo sanguíneo para que não ocorra incompatibilidade. Mas, se houver a compatibilidade, a pessoa pode receber sangue também de outros grupos.

>> Acrescentar essas informações próximo de onde diz Doador Universal e Receptor Universal

DOADOR UNIVERSAL – Pode doar para todos os demais, pois não possui nenhum dos dois aglutinogênios (A e B).

RECEPTOR UNIVERSAL – Pode receber sangue dos indivíduos dos grupos AB, A, B e O, pois não possuem nenhuma das aglutininas (anti-A e anti-B) no plasma.

Vírus x Bactérias

Vírus são seres muitos simples. Eles não possuem células e são formados basicamente por uma cápsula de proteína que envolve o material genético que pode ser o DNA ou o RNA. Como não possuem células, os vírus precisam infectar uma outra célula viva (de animais ou plantas) para se reproduzir, isto significa que são parasitas obrigatórios.

Eles causam doenças como: AIDS, dengue, Covid-19, poliomielite, raiva, caxumba, catapora, herpes, resfriados, gripes, dengue, febre amarela, sarampo, hepatite e rubéola.

Bactérias são seres unicelulares procariontes, isto é, não possuem o material genético (DNA) dentro de um núcleo. Elas podem viver na natureza fazendo a decomposição da matéria orgânica, ou viver associadas a outros organismos numa forma de mutualismo (no nosso intestino existem bactérias que fazem vitaminas importantes), ou ainda causar doenças (patogênicas).

As principais doenças causadas pelas bactérias são: a meningite, a leptospirose, o tétano, a tuberculose, o botulismo, a cólera e a pneumonia.

Trabalho a nosso favor

As bactérias podem ser muito úteis para os seres humanos, pois fazem a fermentação utilizada em indústrias alimentícias (como iogurte, queijo, vinho), na biotecnologia (bactérias transgênicas fazem insulina), na indústria farmacêutica, no tratamento de efluentes e na produção de adubos orgânicos.

Antibióticos

São medicamentos que matam especificamente as bactérias. Por isso, não podemos tomar antibióticos sem que tenhamos uma doença causada por bactérias. O primeiro antibiótico foi descoberto por acaso pelo médico inglês Alexander Fleming, em 1928: a penicilina. Mas ela começou a ser utilizada em humanos somente em 1940.

Atualmente, o uso indiscriminado de antibióticos (tomar sem necessidade) ou não seguir corretamente a instrução da receita médica facilitou o aparecimento de bactérias resistentes. Essas bactérias são aquelas que evoluíram e não morrem mais com alguns tipos de antibióticos.

E para termos saúde?

É preciso…

– Manter a prática de exercícios físicos e ter uma alimentação saudável.

– Ter medidas de higiene, como lavar bem as mãos, tomar banho, manter as unhas curtas e limpas, limpar bem a casa, lavar bem as frutas e verduras e cozinhar bem os alimentos.

– Conservar bem os alimentos, observar temperatura de conservação e os prazos de validades dos produtos.

– Não acumular lixo ao redor de suas casas e evitar a criação de insetos transmissores de doenças, como mosquitos, moscas e baratas.

– Exigir saneamento básico, que é o conjunto de medidas como água tratada, recolhimento e tratamento do esgoto, limpeza e drenagem urbana, recolhimento de resíduos sólidos (lixo e entulhos) e de águas pluviais.

– Fazer vacina, que é uma das maneiras mais eficientes de prevenção de doenças. As vacinas são fabricadas com microrganismos mortos ou atenuados que não causam doenças nas pessoas, mas estimulam a produção de anticorpos. Fazendo as vacinas, não só a pessoa ficará protegida, mas, sim, toda a comunidade.

Lições importantes sobre meio ambiente

Mata ciliar

São florestas ou outros tipos de cobertura vegetal nativa, que ficam às margens de rios, arroios, lagos, nascentes e represas. Ela protege os mananciais de água como se fossem os cílios protegendo os nossos olhos, por isso o nome “mata ciliar”.

Insetos polinizadores

Insetos polinizadores como as abelhas, as borboletas e algumas espécies de moscas, são fundamentais para a reprodução das plantas. Muitos desses animais estão ameaçados de extinção e a perda dessas espécies pode causar uma crise na produção de alimentos e até comprometer a segurança alimentar da população.

Suporte técnico

O conteúdo desta edição foi elaborado pela professora Giovana Inês Lagemann. Ela é formada em Biologia pela Unisc e mestre em Zoologia pela UFRGS, e atua na Escola Estadual de Ensino Fundamental Cristiano Bencke, em Centro Linha Brasil.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome