Coronavírus na Bélgica: antes da Páscoa, regras se tornam ainda mais rígidas

-

PÉ NA ESTRADA

Por Ana Flávia Hantt*

“Essa não é a hora para ser criativo com as regras. Se você está na dúvida se algo é permitido, é porque provavelmente não é.” Essa é uma das frases que mais escuto sendo repetida pelo governo da Bélgica, especialmente durante comunicado oficial que ocorre todas as manhãs.

Ao chegarmos na terceira semana de quarentena, o governo tem reforçado a importância de toda a população continuar respeitando as limitações impostas pela crise causada pelo novo coronavírus. A preocupação se dá, especialmente, depois do começo do horário de verão (que se iniciou no último sábado) e com a proximidade do feriado de Páscoa.

Além das regras básicas, o governo também proibiu que a população se dirija ao litoral do país – mesmo que a pessoa tenha uma residência no local -, e também iniciou a instalação de barreiras policiais nas entradas das principais rodovias nacionais. O objetivo é evitar que o vírus seja transportado para regiões onde os casos de Covid-19 ainda não são tão altos.

Até o dia 1° de abril, a Bélgica era o terceiro país do mundo com maior número de mortes em comparação ao número de habitantes (73 mortes para cada milhão), ficando atrás da Itália e da Espanha. Com uma média de 550 internações hospitalares por dia, o país possui aproximadamente 55% dos leitos de UTI ocupados – o que seria um número favorável, se a utilização ocorresse de forma uniforme em todo o território; os hospitais da capital Bruxelas, por exemplo, devem atingir sua capacidade máxima de atendimento neste fim de semana.

O governo belga, que tem demonstrado resposta rápida e muita seriedade em relação à crise, novamente mostra antecipação e planejamento em suas ações: nesta quinta-feira, 2, foi anunciada uma comissão liderada por especialistas médicos, e também formada por representantes dos setores social e econômico, a qual desenvolverá um plano gradativo para o fim da quarentena. A notícia foi muito bem recebida pela população, que aguarda ansiosa pelo relaxamento das restrições. A quarentena, na Bélgica, seguirá até 19 de abril, com possibilidade de extensão até 3 de maio.

“Ainda é um número alto, mas é um bom sinal o fato de que não está aumentando. Possivelmente estamos chegando no pico ou platô, mas teremos que observar isso nos próximos dias”, disse Steven Van Gucht, virologista e porta-voz do governo belga, sobre o número de hospitalizações nesta semana – diariamente, de 500 a 600 pessoas deram entrada nos hospitais do país devido ao Covid-19.

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes