Cães e gatos: esteja atento aos sinais da depressão

-

A depressão não é uma doença que atinge apenas os humanos. Cada vez mais, é possível perceber que esse diagnóstico também é visível nos animais de estimação, principalmente, em cães e gatos. É importante que os pet lovers – amantes dos pets – deem atenção aos sinais emitidos pelos companheiros em relação a personalidade de comportamento no dia a dia.

O médico veterinário Lucas Lorenzom explica que assim como os humanos, os animais de estimação também sofrem com estresse e depressão, na maioria das vezes, por motivos semelhantes aos das pessoas. “Perda de uma pessoa da família que o animalzinho estava habituado, abandono, experiência traumática, introdução de uma criança ou outro animal, mudança de rotina e outros fatores podem contribuir para o desencadeamento desse quadro”, destaca. Os sintomas para a doença, que aparece mais em cães, são inúmeros e por vezes silenciosos no início.

De acordo com Lorenzom, entre os sintomas está o isolamento, perda de apetite, tristeza, não reagir ao contato físico do dono ou outra pessoa. Quando o quadro já está agravado, o animal começa a se automutilar, mordendo patas e rabos. “Há 11 anos na área de atendimento clínico, confesso que tenho atendido muitos animais com alteração de comportamento. Acredito que isso esteja atrelado ao nosso dia a dia que é mais corrido do que anos atrás e, por vezes, acabamos não tendo o tempo que deveríamos para o nosso animal de estimação”, salienta.

Quando comportamentos estranhos são percebidos é importante buscar ajuda de um médico veterinário. O profissional explica que serão feitos exames para que seja possível diagnosticar se há alguma doença que esteja gerando esse comportamento ou se, de fato, o cão está sofrendo de depressão.

TRATAMENTO

Não existe um tratamento específico para a depressão em animais, o que pode variar de acordo com o quadro que está sendo apresentando pelo cão ou gato. Com o diagnóstico, é preciso buscar formas para combater a situação. O profissional orienta que nessas situações é preciso levar o animal para ter contato com outros pets e, às vezes, adotar outro animalzinho pode contribuir na melhora do quadro de saúde. Caso a situação seja mais grave e não seja possível normalizar somente mudando a rotina, é preciso fazer o uso de medicamentos específicos.

FIQUE ATENTO 

Sintomas

-Perda de interesse nas brincadeiras

-Alteração do apetite

-Dormir mais que o normal

-Comportamento atípico

Causas

-Mudança na rotina da casa

-Morte de uma pessoa ou animal próximo

-Chegada de um novo animal

-Doenças ou problemas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes