Projeto-piloto é desenvolvido pela empresa HS (Foto: Divulgação)

A defensora pública Luciana Artus Schneider, que no mês passado entrou na discussão sobre a falta de um abrigo na esquina das ruas Tiradentes e General Osório para usuários do transporte coletivo de Venâncio Aires, segue acompanhando o desenrolar dos fatos. “Estou monitorando a situação”, declarou ela, ontem, à Folha do Mate. Luciana explicou que, no dia 1º de agosto, recebeu do então prefeito em exercício, Celso Krämer, um ofício no qual constava a informação de que o Executivo faria todos os esforços possíveis para resolver a questão definitivamente, além de ventilar hipótese de uma solução paliativa.

A partir da manifestação do Executivo – provocada por recomendação da Defensoria para que uma medida fosse tomada em relação à falta de abrigo -, Luciana estabeleceu um prazo de 30 dias para voltar ao assunto. “Agora que tivemos a aprovação da Câmara para a instalação das paradas, vamos ficar no aguardo. Se houver um movimento nos próximos dias, apenas seguiremos monitorando. No entanto, se nada acontecer, não está descartada uma ação judicial. Não podemos esquecer que está passando o inverno e as pessoas estão enfrentando frio e chuva no local. Precisamos defender os interesses da comunidade”, argumentou.

60 DIAS 

O proprietário da HS Metalúrgica Industrial, Cristiano Stertz, disse ontem que soube da aprovação do projeto na Câmara e que aguarda por um contato oficial da Prefeitura para iniciar a produção da estrutura. “É importante ficar claro que somos responsáveis pela execução, não pelo projeto. Estou aliviado pela evolução, pois o nome da empresa vem sofrendo uma exposição que eu não gosto”, declarou.

Stertz estimou um prazo de 60 dias para que a primeira estrutura esteja instalada na Praça da Matriz. “O prazo inicial, do dia 15 de setembro, é impossível. Estamos na época em que é muito grande a demanda junto aos nossos clientes do setor tabacaleiro e precisamos dar preferência a eles. A parada será feita em paralelo”, explicou.


“Continuo só por fora observando a situação. É verdade que temos uma pendência para acertar com a Prefeitura, mas o nome da empresa passou por uma exposição excessiva, totalmente desnecessária”.

CRISTIANO STERTZ – Proprietário da HS Metalúrgica Industrial


NEGOCIAÇÃO 

• À Folha do Mate, Cristiano Stertz revelou detalhes da negociação das paradas inteligentes junto à Prefeitura. Ele fez os esclarecimentos porque, no seu entendimento, “houve muita distorção em relação ao que de fato aconteceu”.

• De acordo com ele, o primeiro contato entre Município e empresa ocorreu quando o Executivo fez uma cotação de valores das paradas inteligentes. A intenção, segundo Stertz, era buscar recursos de emendas parlamentares para viabilizar os projetos.

• Tempo depois, a empresa foi contatada por conta do não cumprimento da carta de intenções relacionada aos benefícios industriais. Stertz salienta que representantes do departamento jurídico participaram de reunião na Prefeitura para encaminhar uma solução.

• Foi então, conforme ele, que surgiu a ideia da compensação, que teria partido do Município. A empresa fez uma oferta de três paradas e, mais tarde, a partir da reavaliação dos terrenos recebidos como incentivo, houve uma nova proposta, desta vez de cinco paradas inteligentes.

VALORES DA PARADA

  • Estrutura metálica, cobertura e forro de PVC: R$ 12.450,00
  • Vidro temperado 6 milímetros: R$ 9.550,00
  • Sistema de placas solares: R$ 27.000,00
  • Mobiliário urbano (bancos com pés em metal e assento em plástico, um split 18 mil
  • BTUS, duas cortinas de ar, bebedouro de 40 litros, um conjunto monitor LCD e câmera): R$ 9.841,00
  • Instalações elétricas (cinco tomadas USB, iluminação LED e rede para demais equipamentos): R$ 1.755,00
  • Mão de obra: R$ 8.500,00
  • Impostos (12,25%): R$ 8.464,26
  • BDI (22%): R$ 15.201,12
  • Total: R$ 92.761,38
  • Importante: BDI é a sigla para Benefícios e Despesas Indiretas. No cálculo do preço final, o BDI é um componente adicional aos custos diretos.

LEIA MAIS: 

Parada de ônibus: Defensoria quer solução na praça

Por maioria, Câmara aprova projeto das paradas inteligentes

Saiba quanto custará cada parada de ônibus inteligente

Com paradas aprovadas, praça e Calçadão retornam ao debate em Venâncio

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome