Casa que era de Reynaldo Schmaedecke, onde atualmente funciona a Secretaria de Planejamento e Urbanismo (Foto: Eduarda Wenzel/Folha do Mate)

Um prédio centenário, em frente à Praça Coronel Thomaz Pereira, abriga a Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo. Não é apenas o fato de ter sediado o Fórum de Venâncio Aires e a Secretaria de Saúde, por muitos anos, que faz do espaço um local carregado de história. Construída pelo sogro Arnoldo Pochmann, em 1915, a casa foi residência do médico Reynaldo Schmaedecke, que, há 54 anos, dá nome à rua paralela à General Osório.

Neto de Reynaldo, Paulo Cesar Schmaedecke lembra que a rua General Osório, escolhida pelo avô para residir, era uma rua principal e de ligação da cidade à Serra. “Era uma rua sem calçamento, com uma poeira enorme. Ela era a saída da cidade. Todo movimento para ir a Serra Gaúcha passava por ali, pois não existia a estrada de Lajeado, ela era intermunicipal”, comenta.

Reynaldo Schmaedecke era médico

Natural da cidade de Feliz, Reynaldo Schmaedecke atuou como médico entre a década 1920 e 1930, em Venâncio Aires. Foi uma das influências para a construção do Hospital São Sebastião Mártir, mas não chegou de ver o local pronto. Líder comunitário, também participou da Administração Municipal como presidente do Conselho Municipal entre 1920 e 1928, cargo equivalente de vereador.

Além disso, o médico ficou muito conhecido por ser o único da cidade, na época, além de ter adquirido um prédio na rua Osvaldo Aranha, onde hoje atualmente é a loja Culi Stertz, e o transformou em mini hospital, com o fim de executar as cirurgias e internações.

Paulo Cesar conta que, quando o avô faleceu, em 4 de agosto de 1936, causou uma grande comoção na cidade. “Foi uma tragédia, um dos maiores enterros que teve, ele morreu jovem, com 50 anos por uma infecção na apendicite”, lembra.

CURIOSIDADES 

  • Reynaldo se casou em 1916 com Elfira Moehler de São Leopoldo e transferiu residência para Venâncio Aires, em 1916, onde abriu um consultório médico. A esposa faleceu cedo de tuberculose. Então, ele se casou com a segunda esposa, Eugênia Schuck Pochmann, com quem teve os filhos Clécio e Clélia Schmaedecke.
  • Quando veio para Venâncio, Reynaldo morava em uma pequena residência, já demolida, na rua Osvaldo Aranha, onde atualmente é o Banco Santander, depois se mudou para a residência da rua General Osório.
  • A rua Reinaldo Schmaedecke se chamava Aquidabã, nome de uma batalha da Guerra do Paraguai. Em 3 de julho de 1965, com a Lei 551, o nome foi trocado para Dr. Reynaldo Schmaedecke, em homenagem ao médico venâncio-airense. O prefeito na época era Salvador Stein Goulart.

*Colaboração: Juliana Bencke

1 comentário

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome