Amanda Kothe, 32 anos, fundou Madrejoy Semijoias (Foto: Wilian Perin/Divulgação)

O caminho do empreendedorismo estava trilhado na família. O negócio criado pelo avô seguia bem e tudo levava a crer que só era necessário se dedicar a uma empresa já consolidada, com seis lojas na região. Porém, a vontade de escrever a própria história no empreendedorismo falou mais alto e, em 2016, Amanda Kothe, 32 anos, fundou Madrejoy Semijoias. O caminho a ser seguido era independente do negócio familiar, mas a nomenclatura da nova fase foi uma homenagem para a mãe, Janice: Madre, de mãe em espanhol; e joy, que significa alegre, em inglês.

Amanda começou a trabalhar aos 14 anos na empresa de ótica e joalheria da família. Aprendeu muito e buscou qualificação ao longo dos anos para contribuir da melhor forma para o negócio. Hoje, segue como diretora da Soller Ótica e Joalheria, mas há cinco anos também administra a própria empresa. Ela é bacharel em Direito, pós-graduada em Gestão Empresarial, técnica em óptica e designer de joias pela Escola Gaúcha de Joalheria. “Eu sempre tive a veia do empreendedorismo muito forte em mim. Sempre gostei de gerar oportunidade para as pessoas e acho que o empresário faz muito isso, além de desenvolver a economia”, afirma.

A loja começou com muita força de vontade e determinação na sala de casa. Amanda trabalhava sozinha, à noite, e aos finais de semana e, agora, comercializa as peças numa plataforma multicanal. A Madrejoy tem sede em Lajeado e conta com showrooms em Venâncio Aires, Santa Cruz do Sul e Porto Alegre. Dispõe de produtos em atacado e varejo por meio do site e conta com consultoras de vendas. Entre equipe interna e consultoras, são cerca de 250 pessoas.

Amanda acredita que o grande sucesso do negócio é ajudar e inspirar outras mulheres a serem protagonistas das suas histórias. Recentemente, a empresa ganhou a comprovação de marca registrada

“Eu sou muito apaixonada pelo que eu faço e ver minha marca se desenvolvendo e crescendo, empoderando mulheres e gerando renda, é algo extremamente gratificante e me motiva a fazer sempre mais e melhor.”

AMANDA KOTHE – Fundadora da Madrejoy

Coleção

A seleção das peças e desenvolvimento das coleções é feito por Amanda, que fez um curso de designer de joias quando começou a criação da nova marca. As peças são folheadas a ouro 18 e estão em um catálogo bem variado, com anéis, pulseiras, colares, entre outros. Os produtos são produzidos por duas indústrias parceiras. “É uma marca que valoriza as mulheres e traz uma opção de renda para quem, muitas vezes, não tem oportunidade no mercado de trabalho”, enfatiza.

Sobre a pandemia do coronavírus que afetou todo o país em um momento de ascensão da nova empresa,

Amanda ressalta que a situação veio para mostrar quantas oportunidades se deixa de aproveitar. “O momento é de analisar o cenário, se manter tranquila e buscar alternativas para minimizar os problemas”, observa.

Série de reportagem

Nesta quinta-feira, 16, a Folha do Mate publica a quarta matéria da série com empreendedores locais que investiram no negócio próprio, mudaram de área de atuação e se reinventaram enquanto profissionais. As histórias de quem viu na mudança de emprego uma oportunidade de conquistar a realização pessoal e profissional podem ser conferidas no site e nas redes sociais da Folha do Mate.

Confira o relato da empreendedora

LEIA MAIS 

Com e por amor, a aposta em um novo negócio

Da mecânica à gastronomia: a história do empreendedor Benhur Barcellos Xavier

Empreendedor local: um estúdio de tatuagem no interior

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome