Mariana ilustra a capa do Flores Sonoras. (Foto: Leíne Berttoti/Divulgação)

Mari não é uma compositora qualquer. A Mariana Faria Corrêa, de 41 anos, é bióloga e psicopedagoga de formação, mas é também poeta. Foi do gosto de escrever sobre reflexões da vida, dos diferentes jeitos do amor, das dificuldades do dia a dia e da forma de ver o mundo que ela, por meio do projeto Flores Sonoras, em parceria com o produtor Thomás Lenz, começou a gravar seus textos, tornando-os composições de reflexão leve.

Algumas músicas possuem a participação especial de outros artistas. (Foto: Flores Sonoras/Divulgação)

Iniciado há um ano e meio, o Flores Sonoras é a forma encontrada para compartilhar o olhar sobre o mundo. As letras são escritas por Mariana, juntamente com a escolha de uma melodia bem simples. No estúdio, é missão de Lenz fazer a instrumentalização e dar vida ao som. “Eu sou a voz, ele os instrumentos. Depois ele masteriza, faz o fonograma e eu publico. Tem funcionado superbem, porque trabalhamos bem juntos, ele produz a música, dirige e estamos felizes com os resultados. Às vezes, convidamos alguém pra participar”, conta. A gravação mais recente, lançada na última semana, chamada ‘Uma Flor’, teve parceria de Bruna Moraes, do projeto Ousa Flutuar, na gravação. “É sempre uma experiência bonita, porque a música conecta as pessoas. A poesia também. Então nessas poucas horas de trabalho por semana dá pra desconectar das coisas chatas e se conectar só com isso”, completa.

Hoje já são quatro músicas: ‘Uma Flor’ lançada na semana passada, ‘Clarice’, ‘O tempo’ e ‘Mais Luz’. A previsão é que duas novas sejam gravadas esse ano: ‘É bom’ e ‘Cositas’. Todas elas estão sendo tocadas na programação da rádio da Univates e estão disponíveis no canal do Youtube ‘Flores Sonoras’ e no Spotify. O trabalho também pode ser acompanhado através do Instagram.

O projeto tem o apoio de artistas que fazem a arte das peças para a capa das músicas, como a artista plástica Glau Moraes, de Porto Alegre, e a fotógrafa Leíne Bertotti, de Venâncio Aires.

“Tem uma música nossa, O Tempo, que fala que a vida anda complicada, vou parar o tempo para descansar. Com as flores sonoras a gente faz isso, de certa forma.”

MARIANA FARIA CORRÊA
Idealizadora

COM O CORAÇÃO
Ao ouvir as gravações é inevitável não deixar-se tocar pelas reflexões propostas. Afinal, segundo Mariana, é esse o principal objetivo do projeto que, além de tocar as pessoas, é uma forma de expor a arte. “A arte é uma coisa importante. Ela me mantém nesse mundo que tem sido bem difícil de viver, que está cheio de coisas ruins e a arte é uma forma de liberdade para mim e para as coisas que eu penso”, salienta.

Flores Sonoras é um projeto que tem as reflexões e visões de mundo de Mariana. “Do coração e quando está aqui fora é escolha de cada um ouvir ou não.”

Flores Sonoras é uma produção totalmente independente, sem financiamento nenhum. As músicas são gravadas sem pressa e sem compromisso. De acordo com Mariana, é tudo feito com os recursos próprios sem ficar esperando recursos para conseguir viabilizar. “Se esperarmos, vamos deixar engavetadas durante muito tempo.”

SAIBA MAIS

1 Os responsáveis pelo projeto são Mariana Faria Corrêa e Thomás Lenz.

2 Tudo começou depois das aulas de violão de Mariana, que começou a compor assim que dominou o violão.

3 Como escrevia muito, resolveu levar as produções para trabalhar na aula de violão, criando assim o Flores Sonoras.

4 Novos poemas de Mariana devem dar vida ao ‘Flores Poéticas’.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome