Escola de Líderes faz júri e reprova o aborto

-

Integrado por alunos de escolas municipais, estaduais e particulares de Venâncio Aires, a Escola de Líderes proporcionou uma atividade que poderá dar rumo à vida dos jovens. Reunidos no Salão do Tribunal do Júri, participaram diretamente de um júri simulado. A sessão reuniu corpo de jurados, acusação, defesa e um coordenador dos trabalhos.

A sessão começou às 9h30min do dia 9, e reuniu 23 estudantes que participam da Escola de Líderes. Auxiliados pelo defensor público Igor Menini da Silva, o delegado Felipe Staub Cano e o advogado Israel Pacheco, se dividiram em grupos. Sete deles – três guris e quatro gurias – formaram o conselho de sentença; cinco gurias e um guri foram responsáveis pela acusação; e três guris e sete gurias fizeram a defesa.

Durante toda a manhã, debateram o tema aborto. O advogado Pacheco serviu de juiz e coordenou os trabalhos. Primeiro a acusação teve 30 minutos para defender sua tese. Em seguida, a defesa teve o mesmo tempo para argumentar sobre sua tese. Ambos tiveram direito a réplica e tréplica, com dez minutos para cada lado. Apartes foram solicitados e concedidos pelos integrantes do júri simulado.Ao final dos debates, os jurados votaram e o resultado foi apresentado a todos: quatro votos contra e três a favor do aborto.

Para o defensor público,  o tema  foi proposto por ter sido recente tema de discussão no Supremo Tribunal Federal e envolve aspectos debatidos pela sociedade. “Ele envolve questões jurídicas, públicas e religiosas”, explicou o defensor. Menini da Silva, que a partir de junho passa a atuar na Comarca de Pelotas, explicou que o júri simulado é uma das avaliações para a conclusão do curso da Escola de Líderes.

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes