Professores engajados na fase de conclusão dos projetos (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Estudantes do curso de eletromecânica do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul) desenvolveram, neste semestre, com o auxílio de sete professores, um projeto que envolve todas as disciplinas do quarto semestre do curso. Foi feito todo o projeto para a criação de uma scooter para o deslocamento de deficientes físicos.

Os 12 alunos foram divididos em três grupos e cada um deles vai entregar um equipamento pronto para uso. Os estudantes são da modalidade subsequente, que cursam o técnico após a conclusão do ensino médio. O desafio foi lançado no início do semestre, sendo que primeiro foi feito o projeto – com o desenho do produto, ferramentas, sensores e demais características – e, agora, é a fase de finalização da construção dos protótipos.

Segundo a professora de língua inglesa, Letícia Pacheco, desde o início do projeto os alunos também estão produzindo um manual de instruções bilíngue da scooter. “Este material é para ser a ‘cara’ do produto que eles estão desenvolvendo e está sendo preparado em português e inglês”, explica.

As atividades teóricas e práticas são desenvolvidas em aula e fora do horário. “Eles tiveram que pesquisar sobre legislação de trânsito para esse tipo de veículo, regulamentos, um trabalho além do mecânico”, diz.

Letícia destaca que um estudante do instituto que tem dificuldades de locomoção no campus inspirou a iniciativa. Muitas coisas foram feitas e pensadas com base no colega. “Não é apenas a criação de um protótipo, mas sim a formação humana, o olhar para o outro e se colocar no lugar, isso tudo foi parte do projeto”, destaca.

Este é o segundo ano que a iniciativa está sendo desenvolvida no curso de eletromecânica. No ano passado, cada grupo desenvolvia protótipos diferentes. “Cada semestre a gente aumenta um nível de dificuldade e complexidade do projeto, nossa ideia é sempre expandir de acordo com as possibilidades”, afirma.

AVALIAÇÃO
A avaliação no semestre é integrada entre todas as disciplinas, critérios são levados em conta em cada aula e diversos instrumentos são utilizados. “Acaba sendo uma avaliação construída, não somente do resultado do projeto”. No início do semestre, um seminário é realizado duas semanas após a apresentação da ideia aos alunos. A proposta é que eles já possam trazer ideias para o projeto, sendo a primeira avaliação deles.

Este é o primeiro ano que os professores apresentaram a ideia de todos os grupos criarem o mesmo equipamento, porém com as especificidades escolhidas por cada equipe. “Todo fim de semestre a gente faz uma avaliação do que deu certo e o que não deu para chegar num ponto ideal para os alunos e nós professores. Se houver motivação dos dois lados o projeto flui mais naturalmente”, destaca Imar Souza Soares Júnior, professor da área de engenharia mecânica.

DOAÇÃO
A intenção dos professores é que um protótipo fique na escola e dois sejam doados. “Porém, como necessita de um investimento de motor, nós estamos contatando algumas entidades para tentar custear o equipamento”, explica. A placa de comando do motor custa em torno de R$ 600 e apenas uma foi adquirida com recurso próprio dos professores. Para as demais a ideia é que se consiga parcerias para custear o comando para que o equipamento possa ser doado a quem necessite.

Os materiais utilizados para a construção dos protótipos são do IFSul, a instituição tem em estoque peças adquiridas por meio de pregão.
Foto: ifsul
Alvaro Pegoraro
Professores engajados na fase de conclusão dos projetos

No dia 26 de junho será realizado um seminário de apresentação dos projetos. Na ocasião, os estudantes apresentam os equipamentos e suas características, além do vídeo de uma apresentação oral em inglês de cada integrante. Toda a comunidade é convidada a participar do evento, que será realizado no auditório do campus do IFSul, às 19h.

Professores
Eloisa Wiebusch (pedagoga e supervisora), Letícia Pacheco (professora de Língua Inglesa), Imar Souza Soares Júnior (engenheiro mecânico e pedagogo), Gustavo de Oliveira Antoni (coordenador do curso), Marcelo de Barros (automação), Henrique Stangarlin (engenheiro elétrico) e Adilson Eskelsen (professor de Língua Portuguesa).

Estudantes
Charle Willian Pinheiro da Silva, Fabiano Alex Weber, Gilmar da Silva, Jardel da Rosa Eslabão, Kelvin Dalvan de Souza, Lairton Elvis Hermes, Lara Maria de Freitas Stertz, Leonardo Fernando Kotz, Marcelo Eduardo Pacheco, Marciel Petry, Tiago Henrique Schieferdecker e Valmir Ricardo Werner.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome