Aposentado diz que espera a mais de um ano por solução para esgoto, em Estância

-

O aposentado Elui Cardoso vai recorrer novamente ao Ministério Público para tentar solucionar um problema que se arrasta há anos. Vizinho da Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (Peva), ele, a esposa Oracélia e outros moradores convivem diariamente com o esgoto que sai da casa prisional e de outras propriedades e que se acumula às margens da RSC-287. “Já fui na Prefeitura algumas vezes e me prometeram um monte de coisas, mas não passou disso”, argumenta o aposentado, de 72 anos.

Na tarde da terça-feira, 18, acompanhado da esposa, de 74 anos, Cardoso esteve na redação da Folha do Mate para, novamente, pedir socorro. Sua denúncia foi matéria nas edições dos dia 10 e 21 de agosto de 2019 e de lá para cá, garante, nada foi feito. “Além de ser um esgoto que está a céu aberto, ele não vai adiante. É só vir aqui olhar para ver”.

Cardoso, que reside há anos em Vila Estância Nova, recorda que os problemas começaram depois que o esgoto que sai da Peva – e que seguia para um arroio -, foi desviado para uma valeta, paralela à rodovia. “Disseram que o esgoto seguiria adiante, mas isso nunca aconteceu. Ele acumula aqui na frente de casa e o mau cheiro é insuportável”, garante.

Inclusive, no ano passado ele fez um cartaz com diversas fotos, comprovando o problema, e entregou no Ministério Publico.

Há poucos dias, Cardoso fez uma obra para evitar a erosão na frente da sua casa, onde o esgoto corre a céu aberto. “Gastei uns R$ 2 mil por que estava desbarrancando aqui e olha só como ficou (mostrando as fotos). Não sei mais a quem recorrer, mas agora saio daqui e vou novamente no Ministério Público”, revelou o aposentado. Ele foi orientado a fazer um abaixo-assinado, com assinaturas de outros moradores, e retornar com a denúncia.

Não é na Peva

Para o promotor Pedro Rui da Fontoura Porto, o problema não é da casa prisional. Ele fez contato com o diretor da Peva, Fábio dos Santos Machado, e foi informado que a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) está funcionando normalmente. “Inclusive, me disse que em recente análise encaminhada pela empresa responsável, apresentou resultado positivo quanto ao tratamento da água, dentro dos padrões exigidos”, disse.

Machado explicou que podem ocorrer eventuais situações de entupimento, transbordo ou falha mecânica, sendo sanadas de imediato. “A orientação é esta para evitarmos danos ambientais e transtornos aos moradores próximos a casa prisional”, observou.

Prefeitura

O vice-prefeito, Celso Krämer, através da assessoria de comunicação da Prefeitura, disse que é um problema que já está se tentando solucionar há tempo. “Já foi feito trabalho de escavação de dois metros de profundidade, colocado 18 canos, mas mesmo assim voltou a dar problema. Então, acredito que o problema deve ser mais adiante”, mencionou.

Krämer disse que está em contato com os responsáveis pelo posto de combustíveis (vizinho à casa do aposentado) para a viabilidade de trabalhar ali na frente, pois é uma entrada e saída de caminhões e outros veículos. “Então não se pode sair abrindo buracos sem ter essa tratativa com eles. Mas está dentro do planejamento e com certeza se buscará uma solução para o problema”, afirmou o vice-prefeito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes