Contratos para a safra de tabaco caíram 9% na região

-

A sazonalidade tradicional que ocorre anualmente dentro das empresas de tabaco tem seu movimento confirmado na maioria dos municípios que beneficiam o produto. Na região de Santa Cruz do Sul, que abrange Venâncio Aires, o ‘grosso’ dos contratos temporários encerra até a terça-feira, 31 – cerca de 75% da totalidade de contratações feitas entre fevereiro e março. “Outros 10% encerram em setembro e o restante deve ir até o fim de novembro”, projeta o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo e Afins (Fentifumo), Gualter Baptista Júnior.

O período seguiu a movimentação de anos anteriores e, portanto, não confirmou a expectativa inicial da Fentifumo, que projetava uma safra mais longa. No início do ano, se esperava uma extensão no beneficiamento porque até então se ventilava a possibilidade de as empresas evitarem profissionais mais velhos, justamente por serem grupo de risco à Covid-19.

Na prática, não houve essa ‘seleção’ por faixa etária, mas o coronavírus afetou de outra forma. “Com o agravamento dos casos e mortes, em abril e maio, as indústrias precisaram restringir seu quadro de funcionários em 75%. Foram sete semanas bem difíceis”, avalia Baptista.

Com isso, a atual safra encerra com queda de 9,06% nas contratações da região. Conforme a Fentifumo, são cerca de 900 contratos a menos na comparação com 2020. Para 2022, Gualter Baptista Júnior estima que as contratações devem começar, ainda que lentamente, já em janeiro. “O fluxo sempre depende da compra de tabaco e, se houver, aceleração na comercialização, os contratos também devem ser agilizados.”

Seis meses

Em Venâncio Aires, a maioria dos contratos temporários também vem terminando nas últimas duas semanas. É o caso de Maria Cenira da Silveira Alves, 58 anos. Funcionária da CTA, ela fechou a 24ª safra com exatos seis meses de contrato – 8 de fevereiro a 8 de agosto. “Tinha bastante fumo, mas como são várias linhas trabalhando e mais turnos, ficou dentro da média de contrato dos outros anos”, comenta Maria Cenira, que mora no bairro Cidade Alta.

Federação e sindicatos dão início às negociações coletivas*

A Federação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo e Afins (Fentifumo) e os sindicatos filiados iniciaram o planejamento das negociações coletivas para a categoria cujas data-base são novembro, dezembro e janeiro.

O encontro com lideranças de seis sindicatos filiados ocorreu na terça, 24, em Florianópolis, em Santa Catarina. A partir dela, serão definidas as diretrizes para as negociações com as indústrias e assembleias com trabalhadores.

O presidente da Fentifumo, Gualter Baptista Júnior, destaca que a intenção é antecipar a pauta de negociação com as indústrias, bem como programar as assembleias. “Queremos reforçar a necessidade deste momento, que é importante para o trabalhador, pois são a partir destas negociações que avançam os benefícios e reajustes para a categoria.”

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo, Alimentação e Afins de Venâncio Aires, Rogério Siqueira, participou do encontro. Para a Capital do Chimarrão, a data-base da convenção coletiva é dezembro.

*Com informações AI Fentifumo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes