As noivas no momento do ‘sim’ (Foto: Rosilene Müller/Divulgação)

Coincidência e amor à primeira vista. Essa é a definição para a união de Aline Rodrigues dos Reis Vaz, 39 anos, e Bruna Fernanda Vaz, 26 anos. Juntas há quase três anos, elas se casaram no civil no último dia 31. No sábado, 1º, realizaram uma festa para celebrar esse momento importante e único. Aline e Bruna trabalharam juntas em 2017 em uma empresa tabacaleira de Venâncio Aires.

Foi assim que tudo começou. “Trabalhamos juntas naquela safra, mas a gente nunca tinha se visto antes. Nos tornamos grandes amigas e foi amor à primeira vista” recorda Aline. No mesmo ano alugaram uma residência. Em 2018, compraram uma casa no bairro Brands e moram juntas. “Na nossa vida é tudo muito rápido. A gente organizou nossa festa de casamento em menos de um mês”, brinca Bruna.

Aline, natural de São Gabriel, mora há 20 anos em Venâncio Aires. A vendedora frisa que a ideia era apenas o casamento civil. “Mas os amigos e a família começaram a ‘cobrar’ e surgiu a ideia da festa. Organizamos ela com muito carinho e superou as expectativas, foi um dia muito emocionante”, relembra Aline, com lágrimas nos olhos.

A cerimônia foi tradicional, a Maya, cachorra da família levou as alianças. “Na hora da troca dos votos era todo mundo secando lágrimas, inclusive aquelas pessoas menos emotivas. Ninguém escapou”, recorda Aline.

As duas comentam que tinham o sonho de oficializar a união. “A gente nunca sabe o dia de amanhã, temos casa, os carros, vai que acontece algo, uma de nós fica doente, pensamos sempre nisso. Já que decidimos casar, pensamos em fazer uma festa e ela saiu como a gente imaginou”, destaca Bruna.

Além disso, o casamento tem um sentido especial para elas. “Nosso grande objetivo para 2020 é fazer a inseminação”, revela Bruna. Bastante informadas sobre o processo de inseminação artificial, elas se preparam para realizarem juntas esse grande sonho. “Tudo na nossa vida é marcante. E acima de tudo temos uma amizade muito linda, com respeito e muito amor”, comenta Aline.

Elas aproveitam todos os momentos possíveis juntas. Adoram viajar, conhecer lugares novos, experimentar novos pratos. “A Aline é a mais medrosa, bagunceira, falante, eu sou mais tímida, reservada, esportista”, fala Bruna.

Bruna e Aline com a cachorrinha Maya que levou as alianças (Foto: Rosilene Müller/Divulgação)

CASAMENTO

A festa de casamento, apesar de ser planejada de última hora, chamou atenção de quem viu as fotos nas redes sociais. “Recebemos tantos convites de amizade no Facebook, tantos comentários depois que as fotos foram divulgadas”, conta Aline.

“As pessoas nunca viram uma festa de casamento entre duas mulheres e isso causa curiosidade. Mas a gente espera que os próximos casamentos entre duas pessoas do mesmo sexo não precisem ser notícia no jornal, que as pessoas encarem isso como algo natural, afinal, nossa vida é normal como a de todo mundo”, enfatiza Bruna.

A festa foi simples, mas cheia de significados. “O vestido da Aline foi uma novela. Ele ficou pronto quatro dias antes do casamento”, conta Bruna, aos risos. A comemoração teve a tradicional valsa, uma cerimônia simples com troca de votos e aliança. Aline jogou o buquê e Bruna uma caixa de Whisky.

O tênis da noiva também chamou atenção, ela customizou o calçado, visto que não achou nenhum conforme planejava. “Nosso casamento foi perfeito”, frisa Aline. As inspirações foram buscadas na internet e segundo as recém-casadas, saiu tudo de acordo com o planejado.


“Esperamos que seja cada vez mais comum o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo. Percebemos que as coisas estão mudando, devagar, mas estão. A parte burocrática está mais acessível, agora só falta as pessoas entenderem que isso é normal, somos duas pessoas normais, trabalhamos, temos sonhos, boletos, é tudo igual.”

BRUNA FERNANDA VAZ  – Auxiliar Administrativo


Apenas 12 casais oficializaram a união homoafetiva desde que o CNJ publicou resolução

A união de pessoas do mesmo sexo se tornou possível a partir de maio de 2013, quando o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou resolução permitindo o casamento de casais homoafetivos. Em Venâncio Aires, o casamento de Aline e Bruna é o 12º entre pessoas do mesmo sexo.

Conforme dados repassados pelo Cartório de Registro Civil, a primeira união foi registrada em 2014 entre dois homens. Já a segunda, em janeiro de 2016, entre duas mulheres. De acordo com a registradora substituta, Carmem Druciaki, muitas pessoas buscam informações sobre a documentação necessária, mas a realização ainda é baixa. As mulheres são as que mais buscam esclarecimentos. Neste ano, até o momento, apenas um casamento homoafetivo foi realizado, o de Aline e Bruna.

UNIÃO ESTÁVEL

  1. União estável é o instituto jurídico que estabelece legalmente a convivência entre duas pessoas.
  2. Em consulta no Tabelionato do município, foi constatado o registro de oito escrituras de União Estável. Dessas oito, cinco são entre homens e três entre mulheres. No ano de 2020, ainda não foi lavrada nenhuma escritura pública de união estável entre homoafetivos.
  3. A primeira escritura pública de união estável entre homoafetivos em Venâncio Aires foi no dia 17 de outubro de 2013.
  4. Atualmente, segundo a tabeliã substituta, Débora Cristine Lemos Veiga, a maior procura de informações para a união estável entre pessoas do mesmo sexo tem sido por mulheres.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome