Família já tem a segunda geração de terneiras oriundas de inseminação artificial (Foto: Rosana Wessling/Folha do Mate)

O casal de agricultores Luis Carlos e Rosmere Scheibler, de Linha Cecília, apostou no setor leiteiro para diversificar na propriedade. Há cinco anos, eles optaram por criar o gado de leite aliado à produção de tabaco. Ao longo dos anos, o objetivo do casal passou a ser investir e tornar o setor do leite como o principal.

Para conseguir alcançar os objetivos, tiveram que qualificar o rebanho e, há dois anos, estão participando do Programa de Inseminação e Melhoramento Genético da Prefeitura. Um dos diferenciais da família é a diversificação do rebanho e, por necessitarem de uma vaca com maior facilidade de locomoção em terrenos inclinados e que produzisse bastante leite, investiram na raça Jersey. “Hoje, a produção média diária é de 23 litros por vaca, o que uns 350 litros por dia. O leite é o nosso carro-chefe, já deixamos até de plantar fumo”, conta o produtor.

Visita à propriedade

Na manhã de ontem, o prefeito Giovane Wickert, o vice-prefeito Celso Krämer, o chefe do escritório local da Emater, Vicente Fin, o secretário de Desenvolvimento Rural, Gilmar Morh, e o técnico da pasta, Gerson Antoni, visitaram a propriedade.

Scheibler foi um dos 13 produtores beneficiados no programa de inseminação. Neste ano, o poder público destinou R$ 10.154,00 e foram autorizadas 298 doses. A família de Linha Cecília teve direito a 24 doses de inseminação artificial. Conforme Antoni, o programa está mais rigoroso e, com isso, o produtor consegue ter qualidade no rebanho e nas doses aplicadas.

A expectativa da secretaria é melhorar ainda mais o programa. “Queremos ofertar ao produtor duas opções para se inscreverem no edital. A opção tradicional, de sêmen normal, e o sêmen sexado, dessa forma ele tem a certeza que vem fêmea e irá ampliar o plantel. Pretendemos aumentar o recurso e fornecer duas opções de inscrições no edital”, explica Antoni.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome