Ergonomia: como ser mais produtivo e manter o bem-estar no home office

-

No período de quarentena, grande parte das pessoas teve que se readaptar e mudar a rotina de trabalho, estudos e lazer, entre outras atividades. Muitos deixaram de trabalhar nas empresas para aderir ao home office, assim como os estudantes, que tiveram que deixar a sala de aula e encontrar outras estratégias de estudo, em casa, fazendo do computador um aliado.

Mesmo que em casa as pessoas estejam mais à vontade, é preciso ter planejamento dos horários e escolher o local ideal para realizar este trabalho. A garantia do bem-estar do trabalhador está ligada à ergonomia.

De acordo com a fisioterapeuta e consultora especialista em Fisioterapia do Trabalho da Clínica São Vicente, Cláudia Regina Becker, a ergonomia é a ciência que estuda a adaptação do trabalho ao homem. O processo está inserido nas atividades do dia a dia, adequando às pessoas ao ambiente de trabalho, que pode ser em casa, na empresa ou qualquer outro lugar. “Ajustar o mobiliário, reduzir esforços, tempo de exposição e postura são algumas das ações da ergonomia”, explica a fisioterapeuta, ao reforçar que a ergonomia é sinônimo de saúde, segurança e conforto.

Em casa, como as pessoas têm mais liberdade, esquecem um pouco deste conceito e optam por trabalhar no sofá ou na cama, em posições que não são adequadas. Entretanto, Cláudia argumenta que, no home office, é preciso avaliar as características do novo espaço de trabalho, a quantidade da luz ambiente e a posição em que se deseja trabalhar.

Segundo a fisioterapeuta, se o ambiente não for adequado às necessidades do trabalhador, ele estará exposto a vários riscos: distúrbio osteomuscular, fadiga, cansaço, câimbras e dores de cabeça são algumas das consequências da má postura em frente ao computador. “O corpo é uma unidade, por isso é importante tentar ficar em posições que vão gerar menor gasto energético”, observa.

A tensão para cumprir o trabalho em cima do tempo aliada às preocupações que se têm em consequência da pandemia – redução de salários, problemas financeiros, possibilidade de perder o emprego, entre outros fatores podem gerar um estresse emocional e refletir na má postura e no rendimento do trabalho.


“O home office é nova condição, é questão de se adequar ao ambiente agradável, se posicionar em um local em casa que não tenha interferências externas e optar por um espaço que traga conforto, para pensar, elaborar e criar.”

CLÁUDIA REGINA BECKER – Especialista em Fisioterapia do Trabalho


 

Dicas práticas

-Sentar ao lado da luz para evitar reflexos na tela do computador

-Acomodar-se no encosto da cadeira para sustentar a posição do tronco em frente ao computador (a cervical deve estar uma posição mais alinhada para evitar o prejuízo muscular)

-Manter os joelhos nivelados com o quadril (uma das técnicas é manter uma caneta em cima da coxa)

-Dispor de um espaço por baixo da mesa para movimentar as pernas

-Beber muita água

-Levantar a cada 50 minutos para aliviar as tensões (em casa, tem mais opções para se distrair nos intervalos de trabalho)

-Ajustar o horário de trabalho conforme o rendimento (dia ou noite)

-Adequar o assento à bancada tendo como base a altura dos cotovelos e manter os pés sempre apoiados no chão (se necessário, coloque um utensílio embaixo dos pés)

-Manter a profundidade para que o corpo não fique distante do computador (a área de alcance recomendada vai do cotovelo até a mão)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes