Rosaria Costa, a ‘nossa’ bibliotecária

-

É difícil encontrar alguém que já foi na Biblioteca Municipal Caá Yari e não conversou com ela, ou que não ouviu seu nome, pois ela adora atender os leitores e bater um papo. Ela é a ‘nossa’ bibliotecária: Rosaria Garcia Costa. Em alusão ao Dia do Bibliotecário, comemorado na sexta-feira, 12, a profissional conta um pouco sobre a sua área de atuação e a trajetória em Venâncio Aires.

A escolha por ser bibliotecária veio pela paixão de estar em meio aos livros, ter possibilidade de ler mais, conhecer mais bibliotecas e ajudar leitores. “Queria trabalhar com isso e fazer diferente do que era feito com as nossas bibliotecas. E durante o curso já busquei o caminho para conseguir atuar em biblioteca pública”, comenta.

Com 15 anos de atuação no município, Rosaria já tem muitas amizades, viu muitas crianças se tornarem adultos, estudarem para vestibular e se tornaram profissionais, Ela observa que, com essa ‘intimidade’ com o leitor, consegue auxiliar nas indicações de obras. “Eu gosto de estar no meio dos leitores, de conversar e de adivinhar o livro que agrada. De conversar com os idosos, com o pessoal que mora na rua, pois todos eles usufruem do nosso espaço”, cita.

Rosaria analisa que, durante a pandemia de Covid-19, reafirmou a paixão por estar com o público. Pois sente falta do contato diário e de ver as mesas da biblioteca cheia. “Os leitores ligam, mandam e-mail e mensagem falando sobre a falta que a biblioteca faz. Falta de vir escolher um livro. E eu gosto dessa troca.”

Ela explica que um dos exercícios que costuma fazer, é pensar em todos leitores na hora de fazer uma compra de livro, analisar os que já existem na biblioteca e os mais demandados. “Recebemos um valor pequeno para compra de livros e agora estamos sem, pois era valor de multas e cadastro e, como a biblioteca está fechada, não temos recursos.”

Rosaria Costa (Foto: Eduarda Wenzel)
Rosaria Costa (Foto: Eduarda Wenzel)

ATUAÇÃO

Formada pela Universidade Federal do Rio Grande (Furg), Rosaria lamenta que as bibliotecas de escola, ainda hoje, não têm profissionais formados na coordenação. “Desde que eu era criança é assim. Geralmente alguma professora que teve algum problema de saúde ou que logo vai se aposentar cuida desse espaço. Mas deveria ser uma bibliotecária, nós estudamos para saber como incentivar leitura e organizar o espaço”, observa.

 

“A função do bibliotecário não vai terminar, porque o país vai demorar muito tempo para que todos tenham acesso ao livro e à internet.”

ROSARIA GARCIA COSTA
Bibliotecária

Bibliotecária Rosaria (Foto: Eduarda Wenzel)
Bibliotecária Rosaria (Foto: Eduarda Wenzel)

CURIOSIDADES

  1. Além de bibliotecas, o graduado em Biblioteconomia pode atuar em livrarias, editoras, empresas de comunicação, espaços de artes, museus, bancos de dados e pesquisas. “Existem muitas possibilidades. Hoje temos muitos que atuam no meio digital, com pesquisas e até mesmo com verificação de fake news”, explica Rosaria.
  2. Apenas três universidades do estado oferecem o curso de Biblioteconomia: a Universidade Federal do Rio Grande (Furg), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade de Caxias do Sul (UCS).
  3. O Dia do Bibliotecário é comemorado em 12 de março, por ser a data do nascimento de Manuel Bastos Tigre, que é considerado o primeiro bibliotecário concursado do Brasil.

notícias variedades Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes