Em meio à pandemia, o nascimento

-

O nascimento de um filho é um momento muito especial na vida dos pais. Desde o descobrimento da gravidez, a família faz planos, compra roupinhas e arruma toda a casa para esperar o novo integrante. Para o casal Paloma Gabriele da Silva, 27 anos, e Gilmar José da Silva, 31 anos, essa espera não foi diferente, teve muito planejamento e amor. No entanto, eles nunca imaginavam que a chegada do filho seria em meio a uma pandemia.

O pequeno Leandro Manuel da Silva, nasceu na noite de 5 de abril, saudável, pesando mais de 3,615 quilos e com 48 centímetros. Por causa das restrições de visita no Hospital São Sebastião Mártir, para evitar o contágio do coronavírus, apenas o pai pôde acompanhar os primeiros dias do menino. “Meu marido assistiu ao nascimento e ficou com nós no pós-parto. Queria que a família tivesse visto o banho, mas apenas ele pôde estar presente.”

Dois dias depois, a família foi para casa, onde vive com uma tia, bisavó e os avós do bebê. Para evitar sair de casa, as tarefas de ir em lugares essenciais, como farmácia e mercado, ficam com uma pessoa. “Em meio ao isolamento, sabemos que devemos nos cuidar ainda mais. Eu e o bebê saímos apenas para pegar um sol no pátio, consultar, fazer vacinas ou exames”, conta Paloma. Ela também comenta que, quando alguém volta da rua, toma todos cuidados de higienização. “Meu marido está de férias, mas quando voltar a trabalhar vamos dobrar os cuidados”, acrescenta.

Sobre o isolamento, ela lembra que é uma atitude necessária, não só para eles, mas para a população. “Não sabemos quem tem e nem quem vai ter, então o melhor é prevenir nos cuidar e fazer a nossa parte.”

ESPIRITUALIDADE

Paloma também destaca que a família é católica, então encontram na oração força para enfrentar o momento. “Sempre que possível participamos de terços, novenas e missas, por lives que a Paróquia São Sebastião Mártir e outros meios de comunicação nos proporcionam”, comenta.

O lado ruim de ficar de resguardo, na opinião da mãe, é que as visitas de amigos e parentes terão que esperar a pandemia de Covid-19 passar, pois neste momento Leandro e os pais precisam de isolamento. “Para as pessoas conhecerem ele, estamos mandando fotinhos por meio das redes sociais”, conta a mãe.

Observando a situação, ela afirma que tem esperança que as pessoas reflitam sobre os valores da vida. “Percebemos que, de modo geral, as pessoas estão esquecendo dos valores que vêm das gerações passadas, estão cada vez mais longe umas das outras, possuem necessidades constantes em querer adquirir bens e não dão amor e atenção para as pessoas. Então, acredito que é um momento de voltar o olhar para a família e para os valores que recebemos das gerações passadas”, destaca Paloma.

Maternidade mantém restrições

O setor da maternidade do Hospital São Sebastião Mártir está mantendo algumas restrições para garantir a segurança das pessoas que circulam no local. De acordo com a gerente de apoio assistencial, Susan Artus Dettenborn, a gestante tem direito a um acompanhante que pode realizar trocas a cada 12 horas. As visitas em horário de banho do bebê foram suspensas, para evitar a aglomerações de pessoas no setor, assim como as visitas a qualquer pessoa hospitalizada.

Susan afirma que os cuidados com higiene também devem ser mantidos, assim como, a lavagem das mãos e o uso de álcool gel. “Estamos aguardando novos decretos para a flexibilização das normas”, explica, reforçando que a maternidade segue as restrições gerais dos demais setores da instituição.

*Colaboração: Juliana Bencke e Taiane Kussler

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes