Foto: Governo do Estado

O agravamento da pandemia deixou em vermelho quase todo o Rio Grande do Sul. Das 20 regiões do Distanciamento Controlado, apenas duas foram classificadas com bandeira laranja (risco médio) no mapa preliminar da 11ª rodada, divulgado nesta sexta-feira, 17. Isso significa que 90% do estado apresenta alto risco para disseminação de coronavírus e ocupação de leitos. As bandeiras definitivas serão divulgadas na segunda-feira, 20.

Entre as regiões que tiveram piora nos indicadores está a de Santa Cruz do Sul, que inclui Venâncio Aires, Mato Leitão, Passo do Sobrado e Vale Verde. Entre as restrições impostas pela bandeira vermelha estão o fechamento do comércio e redução da capacidade produtiva das indústrias.

Conforme informações do Governo do Estado, a justificativa para a região ter recebido bandeira vermelha está associado ao fato de os casos de internações por Covid-19 terem dobrado no último levantamento em relação ao último monitoramento. Nessa quinta-feira, 16, eram dez pacientes hospitalizados por causa da doença. Por essa razão, especialmente neste indicador, a região apresentou classificação de bandeira preta.

Ainda segundo o Estado, o registro de crescimento de 11 para 13 casos de internação pela doença em leitos de UTI é mais um fator que pesa na nova classificação de risco. Por outro lado, a região conseguiu reduzir de 17 para 16 o total de pacientes em UTI com diagnóstico de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

A partir da evolução de outras patologias, a região conseguiu ampliar de 20 para 33 o número de leitos de UTI livres. Com o registro de 4 de óbitos na semana, o indicador de projeção do número de óbitos foi da bandeira amarela para preta. O indicador de estágio da evolução na região obteve melhora de bandeira, passando da preta para vermelha.

Na última semana, Venâncio e outros municípios da região de Santa Cruz do Sul já haviam recebido classificação de risco alto. Contudo, os Municípios se uniram e tiveram o recurso deferido pelo Gabinete de Crise conseguindo, assim, permanecer na bandeira laranja durante esta semana.

Confira o pronunciamento do prefeito Giovane Wickert sobre a classificação:

Venâncio ingressa na bandeira vermelha no modelo de distanciamento social do Governo do Estado. Prefeito Giovane Wickert se manifesta sobre a classificação.

Publicado por Prefeitura de Venâncio Aires em Sexta-feira, 17 de julho de 2020

Neste sábado, 18, às 9h, o Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) e a Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp) farão uma reunião extraordinária por meio de videoconferência para debater o recurso referente à bandeira vermelha recebida pela região no mapa preliminar do Distanciamento Controlado. Foram convidados para participar do encontro virtual o médico infectologista Marclo Carneiro, a 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS) e os secretários municipais da Saúde.

90% das regiões com bandeira vermelha

Nove regiões apresentaram piora nos indicadores com relação à semana anterior. Cruz Alta, Erechim, Lajeado, Ijuí, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santo Ângelo e Uruguaiana saíram da bandeira laranja para a vermelha, juntando-se a Porto Alegre, Canoas, Cachoeira do Sul, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Taquara, que já estavam com risco alto.

Deste total, 270 cidades e seus 1.735.262 habitantes (15,3% da população) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

Com exceção desses municípios enquadrados na Regra 0-0, as demais prefeituras e associações regionais têm 36 horas – que se encerram às 6h domingo (19/7) – para apresentarem recurso por meio do formulário de on-line. Os pedidos de reconsideração serão avaliados pelas equipes técnicas do governo. A decisão será tomada pelo Gabinete de Crise na segunda-feira, 20, e, à tarde, o mapa definitivo, vigente a partir de terça-feira, 21, será divulgado.

Alerta para bandeira preta

Nestas 11 semanas de Distanciamento Controlado, o RS segue sem registro da bandeira mais grave, de cor preta. No entanto, as equipes do governo alertam para a situação de cinco regiões que ficaram muito próximas de migrarem para o nível de risco altíssimo.
Para atingir a bandeira preta, o arredondamento da média ponderada dos 11 indicadores deve alcançar, no mínimo, 2,5, enquanto a da bandeira vermelha é 1,5. Nesta rodada, Taquara ficou média de 2,40, Porto Alegre (2,36), Capão da Canoa (2,33) e Novo Hamburgo e Canoas (2,25).

Um dos principais agravantes nestas regiões é o número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias por local de residência do paciente. A capital teve 334 novas hospitalizações; Novo Hamburgo, 99; e Canoas, 47.

Resumo da 11ª rodada

Regiões que tiveram piora:

  • Santa Maria: laranja > vermelha
  • Uruguaiana: laranja > vermelha
  • Santo ngelo: laranja > vermelha
  • Cruz Alta: laranja > vermelha
  • Ijuí: laranja > vermelha
  • Santa Rosa: laranja > vermelha
  • Erechim: laranja > vermelha
  • Santa Cruz do Sul: laranja > vermelha
  • Lajeado: laranja > vermelha

Região que teve melhora:

  • Pelotas: vermelha > laranja

Principais indicadores da 11ª rodada

  • Número de novos registros de hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) de confirmados Covid-19 aumentou 11% entre as duas últimas semanas (770 para 855).
  • Número de internados em UTI por SRAG aumentou 17% no Estado entre as duas últimas quintas-feiras (647 para 754).
  • Número de internados em leitos clínicos com Covid-19 no RS aumentou 23% entre as duas últimas quintas-feiras (693 para 853).
  • Número de internados em leitos de UTI com Covid-19 no RS aumentou 13% entre as duas últimas quintas-feiras (504 para 572).
  • Número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 no RS reduziu 8% entre as duas últimas quintas-feiras (de 594 para 547).
  • Número de óbitos por Covid-19 aumentou 31% entre as duas últimas quintas-feiras (de 207 para 271).
  • As regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (334), Novo Hamburgo (99) Caxias do Sul (81), Passo Fundo (61) e Canoas (47).

*Com informações do Governo do Estado

*Texto atualizado às 19h59, para acréscimo de informações. 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome