Há um ano, Leão era um dos inúmeros cães abandonados, que sofreu acidente, mas teve a sorte de ganhar um lar (Crédito: Arquivo pessoal)

Basta uma rápida olhada nas redes sociais para que se encontre, entre outras observações, a palavra “indignação”, quanto ao crescente abandono de animais. Embora eles sejam protegidos por lei, alguns humanos ignoram esta prerrogativa e continuam a abandonar os amigos de quatro patas, a qualquer hora, em qualquer lugar. Atitude que aumenta a preocupação das pessoas e ONGs que lutam pelo bem-estar animal.

ONG AMIGO BICHO

Entre estas, está a ONG Amigo Bicho, de Venâncio Aires. Segundo a presidente Naís Elisete de Andrade, os pedidos de resgates são diários e chegam da cidade, dos bairros e também do interior. “Se continuar nesta progressão vai ficar uma coisa sem controle”, alerta. No entanto, a presidente chama atenção para a adoção consciente. “Quando alguém adota um animal tem que haver a conscientização, a responsabilidade. E uma delas é que este animal não pode procriar, aí entra a necessidade da castração”, reforça. Embora o projeto de castração, por parte do Município, esteja ocorrendo, Naís destaca que, especialmente, a população canina continua crescendo. “É muito importante que as pessoas se conscientizem e façam a sua parte.”

NOTA FISCAL

Se por um lado, a presidente se mostra preocupada, por outra acredita que a ONG está fazendo a sua parte com a ajuda do programa Nota Fiscal Gaúcha. Valor que já contribuiu para que fossem realizadas 70 castrações, neste ano. Os procedimentos ocorreram entre os meses de janeiro a maio, quando terminaram os recursos. Naís contextualiza e multiplica este número por seis filhotes, caso ocorresse a procriação. “Isso em um primeiro plano, porque das fêmeas [filhotes] outros nasceriam e assim por diante. Isso dá uma progressão de milhares de animais. Sem contar aqueles que, por falta de cuidado dos tutores, também procriam”, relata.

ENQUANTO ISSO, JOVENS ADOTAM

Leão que ficou em lar temporário, depois do acidente, fugiu do local e foi ao encontro do seu amigo Gian
Na casa de Gian, Leão divide as brincadeiras com os outros amigos e o carinho de sua família humana

 

O ‘Leão’, nome que ganhou do seu tutor, estava entre as estatísticas de cães abandonados, há um ano. Após sofrer um acidente na Rua Armando Ruschel, o cão foi socorrido por Gian Araújo, 26 anos. Depois de permanecer em um lar temporário, por algum tempo, fugiu do local e foi ao encontro do seu amigo. “Ele apareceu no meu local de trabalho, na rua que foi atropelado. Logo o reconheci e pronto. As visitas passaram a ser diárias”, conta Gian. A partir daí, o jovem começou a alimentá-lo e destinar os cuidados básicos, inclusive com antipulgas, mas Leão queria mais. À noite, quando Gian fechava o estabelecimento, lá ia o animal, a “mil atrás do carro”, destaca. O jovem, então não teve dúvidas que precisava adotá-lo.

Agora, no amplo pátio da casa dos pais, Sandra Mara dos Santos Araújo e Valdir Assis Araújo, as casinhas azuis, cuidadosamente construídas por seu Valdir, abrigam Leão ao lado de Tigrão, que já´ fora adotado e de ‘Culixinho, de 18 anos. Juntos, os dois mais ‘serelepes’ correm e brincam livremente, recebem o carinho do jovem e da família, além da adoção responsável. Já o ‘Culixinho’ que até ensaia as brincadeiras, um pouco mais devagar, tem seus aposentos especiais. Mas é sobre a história do Leão’, que Gian brilha o olhar’, embora o carinho seja dispensado a todos.

LEIA MAIS: 

Veja quais são as reclamações mais frequentes sobre os animais

Chico, um companheiro na vida e no trabalho

Pitanga, a pata que não gosta de água

Atenção, os cães também podem contrair leptospirose

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome