Peva também terá ‘marmitas’ individualizada para os presos

-

A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), através das suas Delegacias Penitenciárias Regionais (DPR), segue adotando medidas preventivas para impedir que o novo coronavírus atinja os presos e quem trabalha com eles. A primeira medida foi a proibição das visitas, seguidas de orientações escritas e agora a comida está sendo entregue de forma individualizada nas cadeias da 8ª DPR.

Até a quarta-feira, 8, à tarde, havia somente quatro casos de contaminação nas casas prisionais da região, todos no Presídio Estadual de Lajeado. Eles foram provocados por um homem que foi preso em flagrante e teve contato com outros internos. Três estão em recuperação, em casa, e um, com problemas de asma, segue hospitalizado.

Inicialmente, o projeto que institui o fornecimento da alimentação dos presos por meio de recipientes próprios e individuais foi adotado nos Presídios de Encantado, de Encruzilhada do Sul e de Arroio do Meio, além do que já funciona no Presídio Regional de Santa Cruz do Sul.

“Estamos indo de forma gradativa, até porque a Susepe precisa ter material suficiente para nos disponibilizar. Mas na Peva as medidas começam funcionar em agosto.”

SAMANTHA LONGO – Delegada da 8ª DPR

Em um futuro próximo, a Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (Peva) também adotara estas medidas preventivas. “A Peva, como é a nossa maior casa prisional, será a última a receber este projeto. Antes, implantaremos nos presídios de Lajeado e Cachoeira do Sul”, avisa Samantha. Segundo ela, as marmitas individualizadas começam a ser distribuídas na Peva no mês de agosto. A casa prisional abriga cerca de 600 apenados.

Sem desperdício nas Penitenciárias

Além de evitar um maior contato entre os apenados, agentes e equipe diretiva das casas prisionais dos Vales do Rio Pardo e Taquari (são 11 no total), a comida individualizada evita desperdícios. De acordo com a delegada Samantha Longo, “além da organização e higiene, a individualização das refeições gera uma economia e evita o desperdício dos alimentos, já que são servidas os recipientes de forma individual”.

Diariamente, salienta a delegada, são repassados os recipientes por turno, conforme o número de apenados. “Essas refeições são servidas pelos trabalhadores da cozinha e todos estão devidamente equipados com os EPIs necessários”, explica. Além disso, continua, “há orientações de boas práticas no manuseio dos gêneros alimentícios, evitando o contato coletivo com os alimentos”.

LEIA MAIS: Poncho Verde é primeiro lugar no ranking do Enem na área de abrangência da 6ª CRE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes