Distúrbios da memória

“O melhor remédio para os lapsos da memória é um lápis e um papel” (Fred Plum)

A memória é uma das funções que garante o nosso conhecimento. Ou seja, uma experiência vivida passa a ser revivida sob a forma de uma lembrança. Com isto, o indivíduo aprende, passa a aperfeiçoar o que aprendeu e finalmente passa a relembrar o que aprendeu. A capacidade de memorização é responsável pelo nosso aprendizado.

A prática tende a manter o conhecimento de um fato e longos períodos sem praticar, levam ao seu esquecimento. Isto nos permite aperfeiçoar o que precisamos aperfeiçoar ao mesmo tempo em que esquecemos o que é desnecessário.

Se analisarmos com atenção, veremos que o esquecimento de determinados fatos passa a ser responsável pela nossa capacidade de adaptação às novas realidades. Assim, por exemplo, um padrão de comportamento, considerado correto há 10 anos, sofreu suas modificações e foi adequado aos dias de hoje.

Perdas mais significativas da memória podem estar ligadas a doenças neurológicas como doença de Alzheimer ou mesmo a distúrbios circulatórios do cérebro, como acontece após um derrame. Estas perdas também podem ser causadas por doenças psicológicas como estresse, ansiedade ou depressão. O alcoolismo, hipotireoidismo ou até mesmo o uso exagerado e prolongado de tranquilizantes provoca uma diminuição da memória.

Uma vida sedentária, com excesso de preocupações e insatisfações, bem como uma dieta deficiente, provocam uma perda de memória.

Mas, vejamos, o que pode ser feito para mantermos nossa memória bem aquecida e atuante em nosso benefício. Hoje já se sabe que o declínio da capacidade mental, observado com a avançar da idade, ocorre em grande parte em decorrência da diminuição da atividade mental. Não adiante tomarmos uma montanha de remédios para melhora a nossa memória. Precisamos, isto sim, estimula-la continuamente, da mesma forma como se estimula a musculatura, para que se mantenha em forma.

Mas, como podemos fazer isto?

Tudo pode começar, com a manutenção de um estilo de vida mais ativo, com atividades físicas feitas com regularidade e uma dieta mais saudável. É preciso que nos mantenhamos atuantes. Estes são os ingredientes básicos para a manutenção da memória. Desta forma, manter uma contínua atividade intelectual como leitura e tentar contar para os outros o que foi lido, memorizar números telefônicos, memorizar preços do supermercado e procurando por produtos similares de menos preços na próxima visita, fazendo palavras cruzadas ou realizando jogos de xadrez, auxiliam na manutenção da memória.

Aqui também vale a dica de Fred Plum: o melhor remédio para os lapsos da memória é um lápis e um papel, ou seja, anotando o que temos que fazer ou anotando o que temos que memorizar, ajuda a conviver melhor com o problema. Se mesmo assim, continuares suspeitando que algo está errado, procure um médico de sua confiança e faça uma avaliação mais detalhada.

LEIA MAIS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques