Tempo de rádio dos candidatos

Os programas de rádio da campanha começam a ser divulgados no dia 9 de outubro e vão até o dia 12 de novembro. Os programas, somente para candidatos a prefeito, serão de segundas à sábados, com 10 minutos, das 7h às 7h10min e 10 minutos das 12h às 12h10min. Os candidatos a vereador vão ter só chamadas avulsas, de 30 segundos ou de 1 minuto. Cada emissora de rádio terá que dispor de 70 minutos diários ao longo da programação, sendo 60% para candidatos a prefeito e 40% para candidatos a vereador.
Fui pesquisar sobre o tempo que cada partido tem para os programas de rádio e TV, que é baseado no número de deputados federais, para ver o tempo dos candidatos a prefeito. O PT tem 10,7% do tempo, mas aqui não terá candidatura a prefeito, só a vereador.
No bloco de partidos que apoiam a candidatura do médico Jarbas da Rosa, tem PSL 10,1%, MDB 6,6%, PSD 6,6%, Republicanos 5,8%, PDT 5,5%, PSC 1,6% e Cidadania 1,6%. A soma dá 37,8%.
No bloco de apoio à reeleição do prefeito Giovane Wickert tem PP 7%, PL 6,4%, PSB 6,2%, PSDB 5,7%, DEM 5,7%e PTB 1,9%, somando 32,9%. Como vários partidos não estarão na eleição municipal em Venâncio, pelas contas que fiz, Jarbas terá 53,47% do tempo de rádio e Giovane 46,53%.  A Justiça eleitoral ainda não anunciou oficialmente os tempos. Mas é por aí.

Notinhas

* Primeira rodada da pesquisa Methodus para Folha do Mate e Terra FM será divulgada nos próximos dias, medindo a largada da campanha em Venâncio Aires.
* Além de Mato Leitão, que terá apenas um candidato a prefeito, Carlos Bohn, que concorre à reeleição, outros 33 municípios no RS também tem candidatura única.
* Bolsonaro era criticado pelo ‘establishment’ de estar ‘terminando’ com o Bolsa Família. Agora transformou o programa em Renda Cidadã e quer beneficiar mais gente. Passa a ser acusado de ‘pedalada fiscal’. Não tem escape. Se corta, o ‘pau come’ . Se faz, o ‘pau come também’. O desespero é de que o programa ampliado impulsione ainda mais Bolsonaro, que quanto mais é atacado, mais apoio popular tem.
* Constatação de Alexandre Garcia em sua coluna: a pandemia do coronavírus fez subir para 14 milhões o número de desempregados no Brasil, segundo o IBGE. Dilma, quando sofreu impeachment, em 2017, deixou o país com 14,2 milhões de desempregados. Conclusão: o ‘estrago’ de Dilma na economia foi maior do que o do coronavírus.
* Na Libertadores deu Grêmio 2×0 Católica e América 0x0 Inter. Grêmio 10, Inter 8, América 5 e Católica 4, é a pontuação. Na última rodada tem Grêmio x América e Católica x Inter. O Grêmio está classificado. O Inter pode classificar até com derrota. Depois vem os mata-mata.

Do Twitter

* Estadão: A antecipação da campanha de 2022 só interessa a Jair Bolsonaro, que não tem o que mostrar como governante e já provou sua rematada inaptidão para o cargo
* Veja: ‘Nunca me preocupei com reeleição’, diz Bolsonaro, ‘aberto a sugestões’ para teto de gastos
* Folha S. Paulo: Bolsonaro pede sugestões a líderes partidários para financiar Renda Cidadã
* Rosane Oliveira: Vem aí o Renda Cidadã, mas pode chamar de pedalada à moda Bolsonaro
* Exame: MP denuncia Flávio Bolsonaro e Queiroz por “rachadinha” na Alerj
* GZH: Gloria Maria: “Hoje tudo é racismo, assédio. O politicamente correto é um porre”
* Eduardo Bolsonaro: Glória Maria sendo “cancelada” e atacada pela esquerda após dizer que “nem tudo é racismo e assédio” e que “politicamente correto é um porre”.
* Deputado Zucco: Parte da imprensa engajado na campanha contra o Presidente Bolsonaro começa a dar espaço para divulgar notícias positivas sobre as ações do Governo Federal. Talvez tenham cansado de bater diante da aprovação do Presidente ou vejam o que está sendo feito em todo o país.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome